This content is not available in your region

Pai do piloto capturado evoca o Profeta e reitera clemência ao grupo Estado Islâmico

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com LUSA, EFE e Reuters
Pai do piloto capturado evoca o Profeta e reitera clemência ao grupo Estado Islâmico

<p>O pai do piloto jordano capturado a 24 de dezembro pelo grupo Estado Islâmico (EI) voltou a apelar este sábado à clemência do grupo extremista. Safi Youssef Al Kasasbeh evocou inclusive a celebração do aniversário do Profeta, que se assinala este sábado, para tentar sensibilizar os extremistas a não fazerem mal ao filho, o primeiro militar conhecido das forças aliadas lideradas pelos Estados Unidos a ser feito prisioneiro pelo EI.</p> <p>“Apelo aos irmãos do Estado Islâmico para considerarem o meu filho como um irmão e um colega deles na oração. Peço para que o tratem bem, que o vejam também como um filho e como um convidado neste aniversário do nascimento do profeta Maomé”, afirmou o progenitor, cujo primeiro apelo ao grupo radical havia sido feito dois dias após a captura do filho.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Prayers for Jordan's F-16 pilot Moaz al-Kasasbeh, who was kidnapped by <a href="https://twitter.com/hashtag/ISIS?src=hash">#ISIS</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Jordanian?src=hash">#Jordanian</a> <a href="http://t.co/bXsPTP3YaJ">http://t.co/bXsPTP3YaJ</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/tcot?src=hash">#tcot</a> <a href="http://t.co/LBqZoCYrhf">pic.twitter.com/LBqZoCYrhf</a></p>— Ξ <span class="caps">BLACK</span> <span class="caps">REPUBLICAN</span> Ξ (@blackrepublican) <a href="https://twitter.com/blackrepublican/status/547808787642716160">24 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Este novo apelo pode, contudo, revelar-se uma faca de dois bicos. Isto porque o grupo também conhecido pela sigla inglesa <span class="caps">ISIL</span> é conhecido por rejeitar qualquer celebração religiosa, por entender que esta forma de adoração não passará de uma cópia dos rituais cristãos e como tal deve ser ignorada.</p> <p>O caça F-16 pilotado por Muaz Kasasbeh despenhou-se em circunstâncias ainda por apurar próximo da cidade de Al Raqa, um dos bastiões do EI ou <span class="caps">ISIL</span> no norte da Síria, quando participava em bombardeamentos aliados contra posições dos radicais. O grupo extremista alega ter abatido o avião das forças aliadas. O Departamento de Defesa dos Estados Unidos garante ter-se tratado de um acidente.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p><a href="https://twitter.com/hashtag/%D9%85%D8%B9%D8%A7%D8%B0_%D8%A7%D9%84%D9%83%D8%B3%D8%A7%D8%B3%D8%A8%D8%A9?src=hash">#معاذ_الكساسبة</a> إنما ينفذ أوامر عسكرية أمريكية لقتل أطفال <a href="https://twitter.com/hashtag/%D8%A7%D9%84%D8%B1%D9%82%D8%A9?src=hash">#الرقة</a> فوقع في أيد رجال ينفذوا أوامر الله <a href="https://twitter.com/hashtag/%D9%83%D9%84%D9%86%D8%A7_%D9%85%D8%B9%D8%A7%D8%B0?src=hash">#كلنا_معاذ</a> <a href="http://t.co/2d1iavhvFS">pic.twitter.com/2d1iavhvFS</a></p>— جندلوهم جندلهة (@jndlhm) <a href="https://twitter.com/jndlhm/status/548814262257209344">27 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Pela internet, os radicais islâmicos divulgaram, entretanto, algumas fotografias do momento da captura e até uma alegada entrevista ao piloto jordano. No questionário, intitulado “A captura de um piloto cruzado”, o militar é interrogado sobre o funcionamento das operações da coligação internacional e sobre os países que fazem parte desta aliança contra o grupo “jihadista.”</p> <p>A encerrar a entrevista, é perguntado a Muaz Kasasbeh sobre qual o destino que espera nas mãos do EI. “Vão matar-me”, terá respondido o piloto, numa entrevista cuja autenticidade ainda não está confirmada.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Dabiq v6 , interview with Muadh al-Kasasbeh, jordanian pilot <a href="https://twitter.com/hashtag/IslamicState?src=hash">#IslamicState</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Raqqa?src=hash">#Raqqa</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/IS?src=hash">#IS</a> <a href="http://t.co/axfAGbo5tz">pic.twitter.com/axfAGbo5tz</a></p>— baith2caliph (@karul_xeran) <a href="https://twitter.com/karul_xeran/status/549932290348822528">30 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>