Última hora

Última hora

Futuro da Líbia discute-se em Marrocos

Com dois parlamentos rivais, o país está mergulhado no caos, ao qual se juntaram, recentemente, os ataques do grupo Estado Islâmico

Em leitura:

Futuro da Líbia discute-se em Marrocos

Tamanho do texto Aa Aa

Segundo dia de negociações, em Marrocos, para pôr fim à crise na Líbia. Sob os auspícios da ONU, os membros dos dois parlamentos rivais participam em discussões indiretas.

Point of view

Nos próximos dias vamos discutir dois aspetos que são mais urgentes: o governo de unidade nacional e as questões de segurança - Bernardino Leon, representante especial da ONU

De um lado, numa sala, o Congresso Geral Nacional, o parlamento cessante, reabilitado pelo autoproclamado governo de Tripoli. Do outro, noutra sala, os membros do parlamento internacionalmente reconhecido, sediado em Tobrouk desde que a capital foi tomada pelas milícias da “Aurora Líbia”.

Como intermediário, o representante especial da ONU. Deste início de negociações, Bernardino Leon faz um primeiro ponto da situação: “Tive a oportunidade de me encontrar com ambas as partes e de ver que há boa vontade, um bom estado de espírito. E nos próximos dias vamos discutir dois aspetos que são mais urgentes: o governo de unidade nacional e as questões de segurança.”

A segurança prende-se com o fim dos combates. O objetivo é criar um ambiente propício à designação de um governo de unidade nacional, abrindo o caminho a uma nova constituição.

As discussões coincidiram com um novo bombardeamento do exército sobre o aeroporto de Tripoli, controlado pela “Aurora Líbia”.

Mergulhada no caos desde a queda do coronel Muamar Kadhafi, em 2011, a Líbia é, atualmente, palco de uma guerra não só entre as forças pró-governamentais e as milícias mas também entre as diferentes milícias. Nas últimas semanas, o país tem sido igualmente alvo de uma série de ataques reivindicados ou atribuídos ao grupo jihadista Estado islâmico, que já controla largos territórios na Síria e no Iraque.

A primeira vez que os dois parlamentos rivais participaram em negociações, tal como estas, indiretas, foi a 11 de fevereiro, em Ghadamès, no sul da Líbia.

Esta ronda negocial, na estância balnear marroquina de Skhirat, deverá decorrer até ao final do mês.