Última hora

Última hora

Serigrafista libanesa expõe retratos de Lee Kuan Yew em Singapura

Em leitura:

Serigrafista libanesa expõe retratos de Lee Kuan Yew em Singapura

Tamanho do texto Aa Aa

Está em exibição nas galerias Sana, em Singapura, uma coleção de obras da artista libanesa Laudi Abilama. As peças são inspiradas em Lee Kuan Yew, o

Está em exibição nas galerias Sana, em Singapura, uma coleção de obras da artista libanesa Laudi Abilama. As peças são inspiradas em Lee Kuan Yew, o antigo primeiro-ministro de Singapura, que morreu no início desta semana aos 91 anos.

Lee Kuan Yew foi chefe de Governo entre 1959 e 1990 é considerado o pai da moderna Singapura. Alguns descrevem-no como o único líder capaz de ter desenvolvido um país do terceiro para o primeiro mundo numa única geração.

Rest In Peace PM Lee Kuan Yew, Founder Of #Singapore And One Of The Great Leaders Of The Past 100 Years#LKY

Posted by Sana Gallery on Domingo, 22 de Março de 2015

A diretora das galerias Sana lembra que Lee Kuan Yew era “desde há alguns anos um tema proibido para a arte”. “Agora, podemos ver que alguns artistas começaram a trabalhar inspirados por ele.
Espero que continuem porque o primeiro-ministro Lee Kuan Yew é um ícone muito inspirado”, refere Ophélie Guillerot.

Laudi Abilama, por sua vez, exerce a sua arte num estúdio próprio em Brummana, cidade a leste de Beirute. A libanesa privilegia técnicas de serigrafia. Para os retratos de Lee Kuan Yew, inspirou-se durante uma passagem por Singapura, em 2011. “Ele foi essencial em fazer do país o que ele é hoje. Singapura tem muitas parecenças com o Líbano. Em particular, devido à sociedade multicultural. Mesmo assim, ele conseguiu torna-la harmoniosa, enquanto no Líbano de certa forma implodimos e autodestruímo-nos ao longo dos tempos, infelizmente”, lamentou a artista.

Prime Minister Lee Kuan Yew show by Laudi Abilama featured by ICON Magazine Singapore -Until 26/04 #ArabArt #Singapore #Art #SG50 http://www.iconsingapore.com/2015/03/282

Posted by Sana Gallery on Quarta-feira, 18 de Março de 2015

O primeiro-ministro de Singapura era temido pelas estratégias autoritárias. Ele defendia limites apertados para os protestos e discursos públicos, considerando essas regras necessárias para a estabilidade num país multiétnico e plurirreligioso.

“Infelizemente, o que está a acontecer é que fazemos parte de um mundo que se resume efetivamente a 22 estados falidos, de ditadores falidos e democracias falhadas. Tornou-se tudo numa amálgama de nada. Por isso, encontrar alguém como Lee Kuan Yew era inevitável para mim, enquanto jovem mulher libanesa, mas também para que todos entendam a forma como o mundo funciona e interpretem os diferentes sistemas políticos”, defende Laudi Abilama.

A exposição da libanesa, com retratos do antigo primeiro ministro de Singapura, Lee Kuan Yew, abriu a 6 de março. As obras podem ser vistas na Galeria Sana, em Singapura, até 26 de abril.