Última hora

Em leitura:

Aluno de 13 anos mata professor em Barcelona e fere mais quatro pessoas


Espanha

Aluno de 13 anos mata professor em Barcelona e fere mais quatro pessoas

Um aluno de 13 anos matou esta segunda-feira de manhã um professor no Instituto Joan Fuster, uma escola secundária de Barcelona, em Espanha.

Armado com uma besta e uma faca, o estudante do oitavo ano do ensino espanhol feriu ainda quatro pessoas antes de ser detido, alegadamente por um outro professor.

O caso ocorreu pouco depois das nove horas da manhã (menos uma hora em Lisboa). O aluno chegou um pouco tarde à escola e dirigiu-se a uma das salas. Uma professora de Língua Castelhana abriu-lhe a porta e foi alvo de um primeiro disparo, com a besta carregada de canetas.

Uma aluna, filha da professora, foi atacada à faca na mesma sala. Um professor de uma sala próxima acorreu ao local e foi alvejado no peito pelo aluno. Não sobreviveu. A vítima mortal, professor de Ciências Sociais, estava a substituir um outro docente naquela escola há pouco mais de uma semana.

Outra professora e um aluno foram também atacados. Todos os feridos estão livre de perigo e a escola foi evacuada.

O jovem atacante foi identificado pelas autoridades, foi retido na escola, mas, de acordo com o artigo 3 do Título I da Lei Reguladora da Responsabilidade Penal de Menores em Espanha, não pode ser preso por ser considerado inimputável até aos 14 anos. Ao início da tarde terá deixado as inatalações da escola, sob custódia dos “Mossos de Esquadra”, a polícia de Barcelona, e na companhia dos pais.

Alguns colegas de escola do jovem agressor contaram que ele já teria ameaçado várias vezes cometer um ato deste género contra professores.

Foi o primeiro caso registado em Espanha em que um aluno matou um professor numa escola, revelou o professor do ANPE (Asociación Nacional de Profesionales de la Enseñanza), o sindicato independente de docentes do ensino espanhol. “Isto tem de nos servir para continuarmos a trabalhar com mais determinação na prevenção e deteção da violência nos centros escolares”, afirmou Nicolás Fernández, à Europa Press.

No último relatório da ANPE sobre convivência escolar e referido que as agressões fisicas de alunos a professores representam 7 por cento dos casos de violência escolar em Espanha.

As aulas no Instituto Joan Fuster foram suspensas até quarta-feira. A escola fez, entretanto, saber que a reabertura será assinalada também com uma cerimónia de homenagem ao professor assassinado.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Imigração ilegal: Líbia pede ajuda