Última hora

Última hora

Contagem infinita dos mortos no Mediterrâneo

>bold> Desde o início do ano mais de 1.500 pessoas morreram no naufrágio de embarcações frágeis, aliciadas por traficantes que prometem a travessia do Mediterrâneo com a miragem de uma vida melhor n

Em leitura:

Contagem infinita dos mortos no Mediterrâneo

Tamanho do texto Aa Aa

Os primeiros corpos dos mais de 900 migrantes mortos domingo chegaram esta manhã a Malta.
O navio clandestino em que viajavam, proveniente da Líbia, naufragou provocando um dos piores desastres marítimos do Mediterrâneo.

Esta manhã mais uma embarcação com 98 migrantes chegou ao porto siciliano oriental de Pozzallo.

Flavio di Giacomo, da Organização Internacional para as Migrações em na Itália explica: “Temos cada vez mais vítimas e por várias razões. Uma delas é o tráfico de seres humanos e as embarcações em mau estado. Em segundo lugar as operações de resgate tornam-se cada vez mais complicadas devio ao enorme número de pessoas. No ano passado, tinhamos a operação Mare Nostrum realizada pelo governo italiano que permitia vigiar uma área mais vasta de mar, mas foi cancelada. A guarda costeira está a fazer um trabalho heróico. Eles arriscam constantemente as suas vidas para realizar salvamentos. Mas há tantos sinais de aflição que são simplesmente incapazes responder a todos eles. “

Desde o início do ano mais de 1.500 pessoas morreram no naufrágio de embarcações frágeis, aliciadas por traficantes que prometem a travessia do Mediterrâneo com a miragem de uma vida melhor na Europa.

Também, esta manhã um barco que transportava 200 migrantes naufragou ao largo da costa leste de Rhodes, na Grécia. Por enquanto foram recuperados três corpos, incluindo o de uma criança. Cinquenta e sete passageiros foram salvos, dos restantes nada se sabe.