Última hora

Última hora

O Nepal com os olhos no céu, à espera da ajuda internacional

Milhares de habitantes de Katmandu preparam-se para passar uma segunda noite ao ar livre, entre desalojados pelo sismo e pessoas que receiam

Em leitura:

O Nepal com os olhos no céu, à espera da ajuda internacional

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de habitantes de Katmandu preparam-se para passar uma segunda noite ao ar livre, entre desalojados pelo sismo e pessoas que receiam regressar a casa.

As autoridades criaram pelo menos 15 acampamentos em parques e zonas abertas da capital nepalesa, quando os mantimentos e água potável começam a escassear.

Uma refugiada australiana, testemunha, “o terramoto apanhou-nos a todos de surpresa e as pessoas começaram a fugir das lojas, a rua estava repleta de gente, uns agarrados aos outros, à espera do fim do sismo. E quando tudo acabou vi verdadeiras multidões a fugirem para os espaços abertos”.

Um novo abalo, este domingo, tinha obrigado as autoridades a encerrar temporariamente o aeroporto de Katmandu, onde continuam a afluir as equipas de resgate e a ajuda humanitária internacional.

A maioria dos países vizinhos como a Índia ou a China, mas também a Austrália, os Estados Unidos ou mesmo Israel já enviaram centenas de socorristas para o país.

Em paralelo, milhares de pessoas, a maioria turistas, continuam à espera de ser repatriados do país.

Uma tarefa levada a cabo a conta-gotas quando as autoridades deram prioridade, na pista do aeroporto, aos aviões e helicópteros que participam nas operações de resgate.