Última hora

Última hora

Coreia do Norte recua no convite a Ban Ki Moon para visitar o país

Regime de Kim Jong-un havia convidado o secretário-geral das Nações Unidos para uma escala em Kaesong, mas voltou a atrás, de forma unilateral e sem explicações

Em leitura:

Coreia do Norte recua no convite a Ban Ki Moon para visitar o país

Tamanho do texto Aa Aa

A Coreia do Norte cancelou de forma unilateral e sem quaisquer explicações o convite para que o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki Moon, efetuasse uma escala no território durante a presente visita à península coreana. Tanto o convite na terça-feira como agora o cancelamento foram revelados pelo próprio responsável da ONU.

“Bem cedo, esta manhã, as autoridades da República Popular Democrática da Coreia informaram-nos, através dos respetivos canais diplomáticos, que estavam a reverter a decisão de permitir a minha visita ao complexo industrial de Kaesong. Não deram qualquer explicação para esta alteração de última hora”, afirmou Ban Ki Moon, acrescentando que “a decisão de Pyongyang é profundamente lamentável.”


O secretário-geral da ONU, assim, que se havia mostrado muito satisfeito pela possibilidade de visitar o complexo industrial de Kaesong, garantiu ainda assim que não irá “poupar esforços para encorajar a República Popular Democrática da Coreia a trabalhar com a comunidade internacional em prol da paz e estabilidade na península coreana e não só.”

Do lado da Coreia do Sul, o porta-voz do ministro da Unificação voltou a beliscar Pyongyang. “Uma vez mais, apelamos à Coreia do Norte para que acabe com o seu isolamento. O Norte deve trabalhar em conjunto com a comunidade internacional, comunicar inclusive com a ONU e dar seguimento à melhoria das relações com a Coreia do sul e à paz na península coreana”, afirmou Lim Byeng-Cheol.

Para Kim Jong-un, depois de já ter recuado há duas semanas no convite para assistir na Rússia às celebrações do Dia da Vitória, naquela que estava apontada como a primeira deslocação ao estrangeiro enquanto líder norte-coreano, este foi o segundo passo atrás na aproximação ao mundo exterior. Com o recuo na receção prevista ao secretário-geral da ONU, o isolamento da coreia do Norte continua.


Por outro lado, o regime norte-coreano fez saber esta mesma quarta-feira que conseguiu desenvolver a capacidade de mimniaturizar armas nucleares, num processo que facilita o armamento de mísseis. “Chegámos a um ponto em que a máxima precisão está garantida, não só para os mísseis de curto e médio alcance, mas também para os de longo alcance”, lê-se num comunicado da Comissão de Defesa Nacional da coreia do Norte, citado pela agência local, a KCNA.