Última hora

Última hora

Radar: Do casamento incestuoso à revolta das mulheres

Casamento homossexual pode incentivar o matrimónio incestuoso? A chefe do governo do estado do Sarre, na Alemanha, criou a polémica ao pronunciar-se

Em leitura:

Radar: Do casamento incestuoso à revolta das mulheres

Tamanho do texto Aa Aa

Casamento homossexual pode incentivar o matrimónio incestuoso?

A chefe do governo do estado do Sarre, na Alemanha, criou a polémica ao pronunciar-se sobre o casamento homossexual. Annegret Kramp-Karrenbauer declarou ao “Saarbrücker Zeitung” que o casamento tem sido definido até ao momento como a união entre um homem e uma mulher. Para a política da CDU, a legalização do casamento homossexual pode incentivar o pedido de reconhecimento de uniões entre pessoas da mesma família ou de uniões entre mais de duas pessoas. As afirmações de Annegret Kramp-Karrenbauer desencadearam uma forte reação nas redes sociais. As sondagens mais recentes indicam que a maioria dos alemães é favorável a uniões entre pessoas do mesmo sexo. O casamento homossexual não é reconhecido na Alemanha.

Francesas expulsas de Marrocos por protesto em topless a favor da homossexualidade

Duas ativistas francesas do coletivo FEMEN foram expulsas do reino de Marrocos na sequência de um protesto contra a penalização da homossexualidade. As duas mulheres posaram, como habitualmente, em topless, num monumento religioso de Rabat e divulgaram a foto e o vídeo nas redes sociais. As duas mulheres preparavam-se para sair do país quando foram detidas. Em Marrocos a homossexualidade é punida com uma pena de três anos de prisão.

Mulheres turcas viram as costas a Erdoğan

Milhares de turcas publicaram fotografias nas redes sociais de costas voltadas em protesto contra as afirmações do presidente Recep Tayyip Erdoğan relativamente às mulheres. Durante um comício, algumas mulheres efetuaram um protesto voltando as costas ao chefe de Estado. Erdoğan atacou as mulheres, afirmando que se tivessem um mínimo de educação e decência deveriam candidatar-se ao parlamento, o único sítio onde uma mulher pode contestar o presidente.

Futebolista croata oferece férias no mar Adriático a 300 crianças ucranianas

O antigo futebolista do Arsenal de Kiev, Ivica Piric, organizou uma viagem à costa croata para 300 crianças ucranianas, forçadas a abandonar as suas casas na região separatista do leste do país. A viagem foi apoiada pela FIFA.

Polícia suíça vende armas na internet

Antigas armas da polícia suíça estão a ser vendidas em sítios da internet especializados nos Estados Unidos. De acordo com Vladimir Novotny, chefe da polícia regional suíça, esta é uma prática legal e comum no país dos cantões, além de encher os cofres das autoridades. No entanto, esta fonte de financiamento causa algum incómodo aos suíços e à classe política. Os críticos sublinham que estas armas podem ser utilizadas para cometer crimes, o que mancha a reputação do país. Desconhece-se se a polícia vende diretamente o armamento aos revendedores ou se recorre a intermediários.