Última hora

Última hora

Estados Unidos: Polícia acusado de racismo e brutalidade é suspenso

O agente Eric Casebolt foi filmado a abusar da autoridade face a uma adolescente. O caso passou-se na sexta-feira, foi filmado, o vídeo tornou-se viral e o agente já foi interrogado. Mas há quem exija

Em leitura:

Estados Unidos: Polícia acusado de racismo e brutalidade é suspenso

Tamanho do texto Aa Aa

O agente da polícia norte-americano filmado sexta-feira em McKinney, no Texas, Estados Unidos, a abusar da força diante de um grupo de adolescentes, em particular uma rapariga, foi suspenso, já foi interrogado e arrisca a expulsão das forças da ordem.

Point of view

O meu coração parou assim que ele puxou da arma. Pensei que ele ia matar o rapaz. Foi assustador

O agente Eric Casebolt foi apanhado — no vídeo registado pelo jovem Brendan Brook, de 15 anos (na íntegra, em baixo) — a agarrar uma rapariga identificada como Dajerria Becton, de 15 anos, a atira-la para o chão e a imobiliza-la com violência. O polícia é visto, inclusive, a sacar da arma e a correr atrás de um outro rapaz.



Brendan Brook relatou à estação norte-americana CW33 que tudo terá começado “numa briga entre mãe e filha” junto à entrada de uma festa numa piscina privada, em que se celebrava o fim do ano escolar. A polícia chegou e a situação agravou-se. Os agentes começaram a pedir aos adolescentes que se haviam concentrado junto à zona da festa para se sentarem ou deitarem no chão para serem interrogados. Um deles “enlouqueceu”. Foi Eric Casebolt.

“O meu coração parou assim que ele puxou da arma. Pensei que ele ia matar o rapaz. Foi assustador”, lembrou Brooks, um dos poucos adolescentes caucasianos no local, que acusa o agente Eric Casebolt de apenas ter perseguido os afro-americanos. “Podem ver numa parte do vídeo que ele nos diz para nos sentarmos, mas passou por mim e disse apenas aos meus amigos afro-americanos para se sentarem”

As imagens revelam a excessiva brutalidade do polícia. “A rapariga exagerou no que disse, mas era desnecessário joga-la daquela forma ao chão”, considerou o jovem “repórter amador”, cuja entrevista pode ser vista em baixo (em inglês).


O vídeo tornou-se viral e está a servir para, uma vez mais, incendiar os ânimos da comunidade afro-americana nos Estados Unidos.

O polícia está suspenso, já foi interrogado pelos serviços internos. Vários grupos religiosos e de defesa dos direitos humanos exigem medidas. “Deve este homem perder o emprego? Isso será o mínimo. Na melhor das hipóteses, todo o departamento da polícia deve refletir profundamente sobre os preconceitos dos seus agentes quando eles são chamados a resolver situações que envolvem crianças”, afirmou David Lee, autodenominado autor cristão, deixando implícito o alegado racismo dentro das forças da ordem de McKinney.