Última hora

Última hora

Parlamento Europeu adia debate sobre acordo de comércio entre UE e EUA

Com uma diferença de dois votos, o Parlamento Europeu decidiu adiar o debate, previsto para esta quarta-feira, sobre as recomendações dos

Em leitura:

Parlamento Europeu adia debate sobre acordo de comércio entre UE e EUA

Tamanho do texto Aa Aa

Com uma diferença de dois votos, o Parlamento Europeu decidiu adiar o debate, previsto para esta quarta-feira, sobre as recomendações dos eurodeputados para o acordo de comércio livre que se está a negociar entre a União Europeia e os Estados Unidos. Na véspera, Martin Schulz, o presidente do Parlamento Europeu, já tinha decidido o adiamento da votação das referidas recomendações, por tempo indeterminado.

“Martin Schulz decidiu adiar o voto porque não queria que as divisões no seio do grupo socialista se tornassem visíveis. Fiquei um pouco desapontada com a ausência dele esta manhã. Tomou uma decisão e criou o caos”, lamentou a eurodeputada liberal holandesa Sophie in ‘t Veld.

A falta de consenso é evidente. Os eurodeputados apresentaram mais de 200 emendas ao documento além de não se entenderem sobre o mecanismo de arbitragem entre Estados e empresas.

“O Parlamento Europeu não devia subestimar o facto de que a Comissão está a negociar com os Estados Unidos, a maior economia mundial, em nome de 28 Estados-membros, que constituem outra grande economia mundial. Num acordo deste tipo, o Parlamento Europeu deve tentar ter uma voz forte e não uma voz dividida”, sublinhou Martin Schulz, o presidente do Parlamento Europeu.

Na tomada de decisão, Schulz apoiou-se numa normativa que prevê, neste quadro, o reenvio do texto à Comissão de Comércio Internacional, como explica o eurodeputado democrata-cristão alemão Manfred Weber: “Martin Schulz apoiou-se nas regras do procedimento e as regras são claras: se existem muitas emendas, o plenário não pode decidir. O Presidente tem o direito de reenviar o texto à comissão parlamentar. Ganhou o nosso apoio para que possamos discutir de forma adequada no Parlamento.”

A decisão de Martin Schulz foi fortemente criticada pela Esquerda Unitária, mas o descontentamento da bancada verde também se fez ouvir pela voz do eurodeputado francês Yannick Jadot: “Quer Parlamento é este que tem medo do debate, do voto e dos cidadãos europeus? Temos de debater e votar.”

A União Europeia e os Estados Unidos negoceiam desde 2013 um acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP no acrónimo em inglês), mas o projeto esbarra na oposição de alguns eurodeputados e de organizações não governamentais.