Última hora

Última hora

Cinema independente em destaque em Los Angeles

Em leitura:

Cinema independente em destaque em Los Angeles

Tamanho do texto Aa Aa

Do festival de cinema de Los Angeles, que terminou esta quinta-feira, destacamos duas obras de dois jovens realizadores. O primeiro filme chama-se

Do festival de cinema de Los Angeles, que terminou esta quinta-feira, destacamos duas obras de dois jovens realizadores.

O primeiro filme chama-se “The Escort” (A acompanhante, na tradução em português) e explora o mundo das acompanhantes de luxo. A história roda em torno de um jornalista viciado em sexo e que quer a todo o custo obter uma boa história. Assim, o jornalista começa a seguir uma jovem universitária que trabalha como acompanhante de luxo.

O papel do jornalista é desempenhado por Michael Doneger que participou ainda na elaboração do guião. Ele conta como nasceu esta ideia.

“A ideia nasceu de um amigo meu que na altura estava a namorar com uma stripper. Foi então que pensei, ‘OK, como posso desenvolver isto? E se ela fosse uma prostituta?”, afirma Doneger.

O papel da jovem estudante Natalie é desempenhado por Lyndsy Fonseca.

“Fiz muita pesquisa e assisti a muitos documentários. Isto para além de ter lido muitas histórias. Apercebi-me que são pessoas normais”, adianta Lyndsy.

O realizador Will Slocombe já escreveu e realizou muitas curtas-metragens, publicidade e mesmo uma série para a internet. Esta é a sua quarta longa-metragem.

Outro filme em destaque em Los Angeles intitula-se “Consumed” e trata da indústria alimentar moderna nos Estados Unidos.

Zoe Lister Jones desempenha o papel de uma mãe solteira que tenta entender as causas da doença misteriosa que afeta o filho. Ela depressa desconfia que as causas se devem a alimentos geneticamente modificados e inicia uma luta contra as grandes empresas que estão a envenenar a sociedade.

O filme evoca “Erin Brockovich”, um filme exibido no ano 2000 e realizado por Steven Soderbergh, no qual Julia Roberts desempenha o papel de uma mãe solteira que luta contra uma companhia que está a poluir a água.

O realizador Daryl Wein não nega as comparações. “Sim, “Erin Brockovich” serviu de inspiração e a Erin Brockovich verdadeira viu o filme e deu-nos o seu apoio”, afirma.

Para a atriz Zoe Lister Jones, “para além de ser um filme que suscita interesse, também quisemos gerar um debate público sobre os alimentos que consumimos neste país”.

O guião deste filme de fortes conotações políticas revela um mundo de organismos geneticamente modificados e foi escrito pela dupla Daryl Wein e Zoe Lister-Jones, uma dupla não apenas no cinema mas também na vida real.