This content is not available in your region

Investigação à FIFA: EUA pedem extradição do paraguaio Nicolás Leoz

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Investigação à FIFA: EUA pedem extradição do paraguaio Nicolás Leoz

<p>Depois de um pedido de extradição de Jack Warner ter sido enviado quinta-feira para Trinidade e Tobago, esta sexta-feira foi o Paraguai a receber a mesma solicitação também por parte do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e destinada a Nicolás Leoz. O antigo presidente da Confederação de futebol sul-americana é outro dos suspeitos na investigação anticorrupção que está a decorrer contra altos cargos da <span class="caps">FIFA</span> e vários parceiros do organismo ainda liderado por Sepp Blatter.</p> <br /> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">Conmebol: <span class="caps">EUA</span> pedem extradição de Nicolás Leoz, atualmente em prisão domiciliar no Paraguai <a href="http://t.co/tCWkELaTzO">http://t.co/tCWkELaTzO</a> <a href="http://t.co/fAmZGMAEor">pic.twitter.com/fAmZGMAEor</a></p>— Estadao (@Estadao) <a href="https://twitter.com/Estadao/status/624583075389833216">24 julho 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <br /> Leoz foi detido e está em prisão domiciliária desde o dia 1 de junho, no âmbito da investigação tornada conhecida dias antes do controverso congresso que viria a reeleger a 29 de maio Blatter como presidente do organismo que superintende o futebol mundial. O suíço, entretanto, colocou o lugar à disposição e um sucessor será eleito em fevereiro. <p>A receção do pedido de extradição de Leoz foi confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros do Paraguai, que vai agora analisar os documentos e decidir sobre a entrega ou não do suspeito às autoridades norte-americanas. Aos 86 anos, o antigo presidente da <span class="caps">CONMEBOL</span>, cargo que abandonou em 2013 após quase três décadas, faz parte de uma lista de pessoas ligadas à <span class="caps">FIFA</span> que estão a ser investigadas por falcatruas envolvendo mais de 150 milhões de dólares.</p>