Última hora

Última hora

Cisjordânia: Extremistas israelitas suspeitos de morte de bebé palestiniano

Na aldeia de Douma, perto de Nablus, na Cisjordânia centenas de pessoas compareceram ao funeral da criança morta num incêndio de origem criminosa e

Em leitura:

Cisjordânia: Extremistas israelitas suspeitos de morte de bebé palestiniano

Tamanho do texto Aa Aa

Na aldeia de Douma, perto de Nablus, na Cisjordânia centenas de pessoas compareceram ao funeral da criança morta num incêndio de origem criminosa e cuja suspeita recai sobre os nacionalistas hebreus.

A morte de Ali Saad Dawabsha, de 18 meses, indignou milhares de palestinianos. Na casa os presumíveis autores do fogo deixaram escrito em hebreu – “Viva o Messias” e “Vingança”.

Mahmoud Abbas, o presidente palestiniano classifica o ato como crime de guerra.

“É um crime de guerra contra a humanidade. Nós não vamos ficar em silêncio. Desde que os colonatos continuam e a ocupação existe tais crimes permanecem e vão durar. Estamos a preparar um arquivo sobre este crime e outros crimes para os levar imediatamente ao Tribunal Penal Internacional, e ninguém nos vai impedir de fazê-lo. “

Este episódio de violência em Hebron, a maior cidade do sul da Cisjordânia, agrava ainda mais a tensão com os colonos.

Mark Regev, porta-voz do gabinete do primeiro-ministro israelita diz: “Israel condena inequivocamente o ataque brutal. É uma atrocidade. É inaceitável. Oficialmente definimos isso como terrorismo. Nós lutaremos contra o terrorismo. Nós vamos derrotar o terrorismo. Vamos levar os autores desta atrocidade à justiça.”

Trata-se do mais grave ataque dos extremistas israelitas contra os palestinianos depois de, no ano passado, terem queimado vivo um adolescente em Jerusalém.
.