EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Cisjordânia: Extremistas israelitas suspeitos de morte de bebé palestiniano

Cisjordânia: Extremistas israelitas suspeitos de morte de bebé palestiniano
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na aldeia de Douma, perto de Nablus, na Cisjordânia centenas de pessoas compareceram ao funeral da criança morta num incêndio de origem criminosa e

PUBLICIDADE

Na aldeia de Douma, perto de Nablus, na Cisjordânia centenas de pessoas compareceram ao funeral da criança morta num incêndio de origem criminosa e cuja suspeita recai sobre os nacionalistas hebreus.

A morte de Ali Saad Dawabsha, de 18 meses, indignou milhares de palestinianos. Na casa os presumíveis autores do fogo deixaram escrito em hebreu – “Viva o Messias” e “Vingança”.

Mahmoud Abbas, o presidente palestiniano classifica o ato como crime de guerra.

“É um crime de guerra contra a humanidade. Nós não vamos ficar em silêncio. Desde que os colonatos continuam e a ocupação existe tais crimes permanecem e vão durar. Estamos a preparar um arquivo sobre este crime e outros crimes para os levar imediatamente ao Tribunal Penal Internacional, e ninguém nos vai impedir de fazê-lo. “

Este episódio de violência em Hebron, a maior cidade do sul da Cisjordânia, agrava ainda mais a tensão com os colonos.

Mark Regev, porta-voz do gabinete do primeiro-ministro israelita diz: “Israel condena inequivocamente o ataque brutal. É uma atrocidade. É inaceitável. Oficialmente definimos isso como terrorismo. Nós lutaremos contra o terrorismo. Nós vamos derrotar o terrorismo. Vamos levar os autores desta atrocidade à justiça.”

Trata-se do mais grave ataque dos extremistas israelitas contra os palestinianos depois de, no ano passado, terem queimado vivo um adolescente em Jerusalém.
.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Cronologia: Que países reconheceram o Estado palestiniano? Quando e porquê?

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"