Última hora

Última hora

A memória de Hiroshima

Cinco de agosto, aniversário de Hiroshima. Os preparativos estão concluídos para que a memória permaneça, 70 anos depois do mortífero ataque

Em leitura:

A memória de Hiroshima

Tamanho do texto Aa Aa

Cinco de agosto, aniversário de Hiroshima. Os preparativos estão concluídos para que a memória permaneça, 70 anos depois do mortífero ataque atómico. O lançamento da bomba sobre a cidade japonesa de Hiroshima por parte dos Estados Unidos ficou na história da humanidade como um dos mais devastadores atos de guerra.

Kimie Mihara, sobrevivente bomba de Hiroshima conta: “Eu sobrevivi porque estava atrasada. Sou uma pessoa cheia de sorte, porque não estava aqui na época, mas quando penso naqueles que foram mortos porque eram diligentes fico muito abalada. Sofro por eles”

Tanto Hiroshima (oeste do Japão) como Nagasaki (sudoeste), a segunda cidade japonesa a sofrer um ataque nuclear americano, pedem há anos que Barack Obama se transforme no primeiro presidente dos EUA a visitar ambas cidades, o que poderá acontecer antes do final do seu mandato em 2017.