Última hora

Última hora

Festival de Cinema de Veneza: História trágica no Evereste abre certame

Em leitura:

Festival de Cinema de Veneza: História trágica no Evereste abre certame

Tamanho do texto Aa Aa

A passadeira vermelha, do Festival de Cinema de Veneza, a cidade das gôndolas, recebeu, esta quarta-feira, figuras ilustres da sétima arte.Até ao

A passadeira vermelha, do Festival de Cinema de Veneza, a cidade das gôndolas, recebeu, esta quarta-feira, figuras ilustres da sétima arte.Até ao próximo dia 12 a cidade italiana recebe o certame que premeia o cinema com o Leão de Ouro.

O filme “Evereste”, do realizador Baltasar Kormakur, abriu o festival, fora de concurso. A película, baseada em facto verídicos, remete-nos para 1996, ano em que um grupo de alpinistas tentava escalar o monte Evereste. A aventura teve um fim trágico, oito mortes.

Os atores, que protagonizam o filme foram levados ao limite mas nunca estiveram em perigo, como adianta o realizador:

“Nunca colocámos ninguém, de forma estúpida, em perigo. Penso que o Jake o explicou bem quando disse: “há uma diferença entre dores e lesões. Comigo eles sentem muita dor, mas não saem magoados.”

Os protagonistas nesta história da vida real são o alpinista neozelandês Rob Hall e o americano Scott Fischer, pioneiros em expedições comerciais ao Evereste, nos anos 90, e que morreram ali:

“Penso que é uma enorme responsabilidade recriar algo que aconteceu, realmente, e eu não estava plenamente consciente, quando decidi aceitar, do impacto que a história teve na família de Scott Fischer, particularmente, nos filhos, que me contactaram porque estavam preocupados com a forma como o seu pai poderia ser retratado. Foi realmente bonito sentar-me com os dois e ouvi-los contarem como o seu pai era com eles. E senti-lo através deles”, explica o ator Jake Gyllenhaal, um dos intérpretes principais.

O filme chega a Portugal no final de setembro.