Última hora

Última hora

Burkina Faso: uma testemunha fala do risco de violência

Aumenta a tensão no Burkina Faso, após o golpe de Estado. Na capital, são receados confrontos entre apoiantes do presidente deposto e as forças

Em leitura:

Burkina Faso: uma testemunha fala do risco de violência

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta a tensão no Burkina Faso, após o golpe de Estado. Na capital, são receados confrontos entre apoiantes do presidente deposto e as forças golpistas, disse à euronews uma cidadão francesa que trabalha em Ouagadougou:

“A situação está agitada. Há militares por todo o lado na cidade. Disparam, principalmente para fazer medo às pessoas e evitar manifestações que dificultem a tomada de poder pelo general Diendéré.

Parece-me que a sociedade local não apoia o golpe e há razões para recear que os populares saiam à rua para enfrentar os militares armados.

Os manifestantes que estão na cidade disseram-me que dez pessoas foram mortas. Há gente a apelar aos protestos, mas há outros que pedem que as pessoas fiquem em casa, para evitar vítimas.

Estávamos a poucas semanas de uma eleição e pensávamos que, depois da insurreição popular e tudo o que já aconteceu, isto estava ganho. Seria um grande passo rumo a favor da democracia em África, mas eles estão a provar o contrário. Afinal basta ter algumas armas.”