Última hora

Última hora

Mais de 700 fiéis esmagados na peregrinação a Meca

Acidente ocorreu em Mina, durante o ritual da "lapidação do diabo".

Em leitura:

Mais de 700 fiéis esmagados na peregrinação a Meca

Tamanho do texto Aa Aa

A tragédia regressou à peregrinação a Meca.

Mais de 700 pessoas morreram esmagadas em Mina, às portas da cidade santa, durante o ritual da lapidação do diabo, uma etapa da peregrinação do Hajj que já no passado foi marcada por acidentes. Além dos mortos, há também mais de 800 feridos resultantes do incidente. O esmagamento deu-se num túnel que dá acesso a uma das três lápides que representam o diabo e que os fiéis devem apedrejar.

O Rei da Arábia Saudita já pediu uma investigação: “Quero expressar as minhas condolências a mim, a vós todos e aos peregrinos pelo que aconteceu em Mina. Quero também dar os meus pêsames às famílias das vítimas. Pedimos às autoridades para investigar as causas deste incidente trágico e para divulgar os resultados dessa investigação o mais rapidamente possível”, disse o Rei Salman.

A peregrinação anual a Meca, que atrai milhões de muçulmanos de todo o mundo, representa sempre um grande perigo, devido às multidões. Os incidentes são comuns. A última tragédia do género aconteceu em 2006, durante este mesmo ritual. O acidente mais grave de que há memória deu-se há 25 anos e custou a vida a mais de 1400 pessoas.

A Arábia Saudita mobilizou dez mil polícias para acompanhar a peregrinação deste ano.