Última hora

Última hora

Primeiro grupo de refugiados parte para a Suécia

O primeiro grupo de 19 refugiados eritreus foi transferido esta sexta-feira para a Suécia ao abrigo do plano de recolocação de 40 mil pessoas

Em leitura:

Primeiro grupo de refugiados parte para a Suécia

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro grupo de 19 refugiados eritreus foi transferido esta sexta-feira para a Suécia ao abrigo do plano de recolocação de 40 mil pessoas oriundas da Síria, Iraque e Eritreia, atualmente concentradas em Itália e na Grécia, acordado em junho pelos chefes de Estado e de Governo da União Europeia.

À conquista de uma vida nova, o momento histórico da partida do aeroporto de Ciampino, em Roma, foi testemunhado pelo ministro italiano do Interior, Angelino Alfano, pelo ministro luxemburguês dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, e pelo comissário europeu para a Imigração, Assuntos Internos e Cidadania, Dimitris Avramopoulos.

“A recolocação não se baseia no destino de preferência de uma pessoa. Cabe-nos a nós anunciar para onde é que as pessoas devem partir. Se não quiserem fazê-lo, infelizmente precisam de saber que terão de voltar para casa”, referiu Avramopoulos.

Da parte do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados é notória a satisfação com o arranque de um processo, que é entendido nesta fase como apenas um começo.

“Este esquema de recolocação é um passo muito importante para a estabilização da crise de refugiados na Europa. No entanto, só poderá funcionar se ocorrer nos pontos de entrada da Europa e se forem criadas instalações robustas, melhores do que as que temos em Itália”, sublinhou Melissa Fleming, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

O comissário para a migração e o ministro luxemburguês dos Negócios Estrangeiros visitaram também, na ilha italiana de Lampedusa, o primeiro “hotspot” que a União Europeia colocou em marcha. Esta é a designação atribuída aos centros de receção e processamento de pedidos de asilo.