Última hora

Última hora

Países dos Balcãs vão cooperar para gerir crise de refugiados

Em leitura:

Países dos Balcãs vão cooperar para gerir crise de refugiados

Países dos Balcãs vão cooperar para gerir crise de refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

Os países dos Balcãs, expostos ao fluxo de migrantes, foram exortados a trabalhar em conjunto.

Durante a mini cimeira em Bruxelas, os líderes dos dez Estados-membros da UE mais a Sérvia, Macedónia e Albânia concordaram com um plano de emergência que combina ajuda humanitária aos milhares de refugiados e migrantes que transitam através dos seus territórios e medidas para melhor controlar o movimento nas estradas dos Balcãs ocidentais.

O primeiro-Ministro croata, Zoran Milanovic, declarou : “Nós concordamos que a Frontex chegue às nossas fronteiras com a Croácia e Sérvia, que são os guardas das fronteiras externas europeias, por assim dizer. O que deve, em teoria, fazer diminuir o fluxo de pessoas, pois implicará um procedimento mais rigoroso e claro”.

Esta cooperação reforçada é suposta ser aplicada desde esta segunda-feira. Uma das principais propostas é criar rapidamente 100.000 lugares de acolhimento de refugiados na Grécia e nos Balcãs. Destes 100.000 lugares, 30.000 vão abrir na Grécia até ao final do ano com a ajuda do Alto Comissariado para os Refugiados.

No campo de Berkasovo, na Sérvia esta coodenadora da ACNUR conta: “Nós apoiamos o processo de registo propriamente dito, mas é claro que eles travam é um problema porque o inverno está a chegar e as instalações de abrigos não estão disponíveis”.

A Eslovénia vai igualmente beneficiar de envio de um contingente de 400 guardas de fronteira para ajudar na gestão do fluxo migratório.