Última hora

Última hora

"Tous au bistrot": Paris resiste nos bares e esplanadas da capital

Os parisienses regressaram ontem aos cafés e às esplanadas, quatro dias após os atentados na cidade, em resposta a uma mobilização lançada nas redes

Em leitura:

"Tous au bistrot": Paris resiste nos bares e esplanadas da capital

Tamanho do texto Aa Aa

Os parisienses regressaram ontem aos cafés e às esplanadas, quatro dias após os atentados na cidade, em resposta a uma mobilização lançada nas redes sociai, sob “hashtags” como #tousaubistrot (todos aos cafés).

Um apelo que coincidiu com o jogo amigável entre Inglaterra e França, marcado, no terreno ou nos cafés pela “Marselhesa”, um hino que voltou a ser um símbolo de resistência em França.

“É importante prosseguir a vida normal. A minha vontade de ir ou não ir a um bar não depende dos terroristas”, afirma o cliente de um bar.

A caminho de um ballet na Ópera da Bastilha, outra residente afirma:

“Sim, é preciso mostrar que não mudámos os nossos hábitos, que continuamos a cultivar-nos e a usufruir dos prazeres da vida e da arte, como do ‘ballet’”.

No interior dos bares parisienses, o hino nacional voltou a ressoar, em uníssono com aquele cantado no estado de Wembley.

“Para ser honesta, eu canto o hino em todos os jogos da seleção francesa, mas esta noite tem um significado particular, depois dos acontecimentos trágicos que vivemos. Tínhamos necessidade de sentir a comunhão de todo o povo francês, sentir que estamos acompanhados”, afirma uma cliente.

A operação #tousaubistrot, lançada em colaboração com os restauradores de Paris, deverá prolongar-se nos próximos dias.

Uma forma da capital francesa resistir ao medo, garantindo ao mesmo tempo, o estatuto de um dos destinos turísticos mais visitados no mundo.