Última hora

Última hora

EUA: Austeridade provoca catástrofe ambiental em Flint

No fim de semana, o Presidente Barack Obama declarou o estado de emergência na cidade de Flint, no Michigan, por causa de uma catástrofe ambiental provocada pelas autoridades quando tentaram poupar di

Em leitura:

EUA: Austeridade provoca catástrofe ambiental em Flint

Tamanho do texto Aa Aa

No fim de semana, o Presidente Barack Obama declarou o estado de emergência na cidade de Flint, no Michigan, por causa de uma catástrofe ambiental provocada pelas autoridades quando tentaram poupar dinheiro na água canalizada.

Afetada por graves problemas financeiros, a cidade de 100 mil habitantes decidiu, no ano passado, abandonar a ligação ao sistema de abastecimento de Detroit e começar a bombear água do rio Flint. Mas a água corroeu as velhas canalizações, que começaram a libertar chumbo.

Para o reverendo Jesse Jackson, “o povo de Flint” – onde 40% da população é negra – “foi traído”.

A presença de chumbo em níveis perigosos para a saúde já foi confirmada e há registo de crianças afetadas pela contaminação. Metal pesado, o chumbo pode provocar cancro, anemia e atrasos no desenvolvimento cognitivo das crianças.

Proeminente figura pública de Flint, o realizador Michael Moore afirmou, num protesto na cidade durante o fim de semana, que se trata de uma “crise racial”, enquanto outro manifestante falava em “genocídio”.

O tema entrou na pré-campanha para as presidenciais nos Estados Unidos, com a candidata democrata, Hillary Clinton a classificar como “inadmissível” e um “escândalo” a ação das autoridades locais, que até há pouco tempo garantiam que a água era boa para beber.