Última hora

Em leitura:

Volkswagen: Comissão Europeia pede explicações à construtora alemã


A redação de Bruxelas

Volkswagen: Comissão Europeia pede explicações à construtora alemã

Com mais de 8 milhões de veículos afetados vendidos na Europa, a Volkswagen enfrenta pressões crescentes para compensar os clientes lesados no âmbito do escândalo de manipulação de testes de emissões poluentes.

Esta quinta-feira, o diretor-executivo da construtora alemã reuniu-se, em Bruxelas, com a comissária responsável pela pasta do Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e PME, Elżbieta Bieńkowska. A porta-voz da comissária, Lucia Caudet, deu conta das prioridades: “É necessário ter um retrato completo do número de veículos e de modelos afetados. Em segundo lugar, uma atualização sobre as medidas de correção planeadas pela Volkswagen. Em terceiro, uma questão que é cara à comissária Bieńkowska: a necessidade dos consumidores europeus serem compensados de forma justa.”

Bruxelas quer que a Volkswagen pague as mesmas indemnizações na Europa e nos Estados Unidos, epicentro do escândalo.

De acordo com algumas fontes, a Comissão Europeia contempla a possibilidade de poder vir a examinar os reguladores nacionais que avaliam a segurança e o desempenho ambiental dos veículos. Na prática, o executivo comunitário poderá exigir provas adicionais a veículos suspeitos ou para aplicar sanções.

A nova comissão de inquérito sobre as emissões no setor automóvel foi aprovada esta quinta-feira no Parlamento Europeu. Inclui dois eurodeputados portugueses. Entre outras coisas, vão analisar-se dados para perceber se a Comissão e os países europeus tinham provas da utilização de mecanismos manipuladores antes de soarem os alarmes do outro lado do Atlântico.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

A redação de Bruxelas

Brexit: Conservadores divididos em relação a referendo sobre saída do Reino Unido da UE