This content is not available in your region

EUA e Japão prontos a "tomar medidas" após novo teste norte-coreano

Access to the comments Comentários
De  Euronews
EUA e Japão prontos a "tomar medidas" após novo teste norte-coreano

<p>A Coreia do Norte afirma ter colocado em órbita um satélite após ter efetuado, esta noite, um novo lançamento de um foguetão de longo alcance.</p> <p>A informação, inicialmente avançada pela imprensa sul-coreana, foi rapidamente confirmada pelo canal oficial norte-coreano <span class="caps">KCTV</span>. No comunicado lido pela “pivot” da televisão pública, a agência espacial norte-coreana afirma-se preparada para efetuar novos lançamentos.</p> <p><iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/R8X36vgyOeA" frameborder="0" allowfullscreen></iframe></p> <p>Um gesto que volta a inflamar a tensão na região, depois do aparelho ter sobrevoado o Japão e a vizinha Coreia do Sul, que prometeram já responder ao que consideram ser um novo teste de um míssil.</p> <p>O Conselho de Segurança da <span class="caps">ONU</span> vai reunir-se de emergência este domingo de manhã em Nova Iorque, depois de Washington ter garantido que vai responder ao que considera ser, “uma nova violação das sanções internacionais”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="en" dir="ltr">The United States strongly condemns today’s missile launch by the <a href="https://twitter.com/hashtag/DPRK?src=hash">#DPRK</a> - a flagrant violation of UN Security Council Resolutions.</p>— John Kerry (@JohnKerry) <a href="https://twitter.com/JohnKerry/status/696152240650846208">February 7, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="en" dir="ltr">We will continue to work with our partners & members of the UN Security Council on significant measures to hold the DPRK to account.</p>— John Kerry (@JohnKerry) <a href="https://twitter.com/JohnKerry/status/696152520536813569">February 7, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Um tom similar ao do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que condenou o gesto do regime comunista: “nós não vamos tolerar que a Coreia do Norte siga com este lançamento depois dos avisos repetidos para que não o faça. O lançamento ocorre depois de um teste nuclear em clara violação das resoluções da <span class="caps">ONU</span>. Nós vamos cooperar com a comunidade internacional para tomar medidas adequadas e fazer tudo para proteger a segurança da nossa população”. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="en" dir="ltr">Just in: Launch images broadcast on KCTV <a href="https://t.co/QKeFzuJi7A">pic.twitter.com/QKeFzuJi7A</a></p>— Martyn Williams (@martyn_williams) <a href="https://twitter.com/martyn_williams/status/696191264073474048">February 7, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O lançamento ocorre um mês depois de Pyongyang ter anunciado a realização de um teste com uma bomba termonuclear. </p> <p>Desde então que Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão têm vindo a reforçar a cooperação militar na região.</p>