This content is not available in your region

Países da Europa Central ajudam Macedónia a controlar fluxo de migrantes

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com Reuters
Países da Europa Central ajudam Macedónia a controlar fluxo de migrantes

<p>Para os muitos de milhares de refugiados concentrados na Grécia, junto à fronteira com a Antiga República Jugoslava da Macedónia, atravessar é uma tarefa cada vez mais difícil.</p> <p>Um grupo de países da Europa Central (Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia) discute esta segunda-feira formas de ajudar a Macedónia a travar o fluxo de migrantes. O país já limitou a passagem aos naturais da Síria, do Iraque e do Afeganistão. Mesmo assim, isso representa um fluxo de 1500 pessoas por dia.</p> <p>A Alemanha teme que um reforço da fronteira por parte da Macedónia torne as coisas mais difíceis para a Grécia.</p> <p>O governo grego prometeu para esta semana a abertura de um centro de identificação, também chamado “hotspot”, na ilha de Kos. Uma ideia que não é do agrado de muitos dos residentes na ilha, que temem que o “hotspot” possa afugentar os turistas. Este domingo, a polícia grega usou gás lacrimogéneo para dispersar uma manifestação contra a instalação do centro.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">'No' to the hotspot (migrant processing centre). Protest poster in <a href="https://twitter.com/hashtag/Kos?src=hash">#Kos</a>. <a href="https://twitter.com/hashtag/refugeecrisis?src=hash">#refugeecrisis</a> <a href="https://t.co/hn8uSlH1hI">pic.twitter.com/hn8uSlH1hI</a></p>— Nick Squires (@NickSquires1) <a href="https://twitter.com/NickSquires1/status/698925050448244736">February 14, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>