Última hora

Última hora

Migrações: Ministros europeus do Interior questionam plano UE-Turquia

Os trabalhos deverão prosseguir esta sexta-feira, mas um primeiro grupo de migrantes oriundos do Paquistão, Afeganistão e Marrocos foi transferido da

Em leitura:

Migrações: Ministros europeus do Interior questionam plano UE-Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhos deverão prosseguir esta sexta-feira, mas um primeiro grupo de migrantes oriundos do Paquistão, Afeganistão e Marrocos foi transferido da Grécia ao abrigo de um acordo de readmissão com a Turquia.

Entre os Estados-membros persistem, no entanto, as divisões em relação ao acordo de princípio alcançado com Ancara esta semana.

À chegada ao Conselho de Ministros da Justiça e Assuntos Internos da União Europeia, esta quarta-feira, em Bruxelas, o ministro grego do Interior, Yannis Mouzalas, não poupou criticas à falta de solidariedade: “Pedimos a ativação imediata do Plano de Ação com a Turquia. Pedimos à Turquia a ativação imediata do acordo de readmissão. Pedimos um compromisso claro dos Estados-membros para recolocação e reinstalação.”

Johanna Mikl- Leitner, a ministra austríaca do Interior, mostrou reservas em relação e eventuais concessões da União Europeia à Turquia no quadro de um acordo para estancar o fluxo migratório: “É altamente questionável que a Turquia, que assume o controlo de um jornal crítico do Governo, apresente uma lista de pedidos três dias depois e seja contemplada com discussões sobre a liberalização antecipada de vistos. Pergunto-me se a União Europeia está a lançar os valores pela borda fora.”

Antes de ser oficializado, o controverso acordo de princípio entre a União Europeia e a Turquia já é alvo de críticas por colocar em causa preceitos da lei humanitária e internacional.

Efi Koutsokosta, euronews – Com a rota dos balcãs completa e decididamente encerrada, a Comissão Europeia e Itália preparam-se agora para evitar uma possível rota alternativa pelo Adriático. Por essa razão, o ministro italiano do Interior visita a Albânia nos próximos dias. Ao mesmo tempo, a situação na Grécia é explosiva. Os últimos números dão conta de mais de 40 mil migrantes e refugiados no território.