Última hora

Última hora

Fukushima, 5 anos depois: Matsumura Naoto, o protetor dos animais

Matsumura Naoto, sobrevivente do desastre de Fukushima em 2011, tem dedicado a vida a tomar conta dos animais abandonados na região, ainda que tal implique o perigo de expor-se a radiações.

Em leitura:

Fukushima, 5 anos depois: Matsumura Naoto, o protetor dos animais

Tamanho do texto Aa Aa

Dia 11 de março de 2011, o maior terramoto da História do Japão e um dos maiores do mundo, atingindo 9 graus na escala de Richter, provocou um tsunami com ondas que chegaram aos 30 metros em Fukushima.

Esta sexta-feira, os japoneses marcam o quinto aniversário do terramoto e do tsunami, catástrofe natural que deixou o Japão em estado de choque, com mais de 18 mil mortos e a posterior crise nuclear de Fukushima.

Desde então, um homem, Matsumura Naoto, sobrevivente do desastre, tem dedicado a vida a tomar conta dos animais abandonados na região, ainda que tal implique o perigo de expor-se a radiações.

Mais de 200 mil pessoas foram obrigadas a abandonar as casas depois do acidente e mais de 75 mil continuam sem conseguir regressar. Para Naoto, o governo japonês é responsável.

“O governo foge das suas responsabilidades, enquanto vai melhorando as condições e as infraestruturas locais. Fizeram, por exemplo, hospitais. Assim, podem dizer que as pessoas só não voltam para casa porque não querem”, disse Naoto.

Mas o japonês não acredita que a região esteja fora de perigo:

“Ninguém pode garantir que estejamos seguros nestas zonas. Disseram-nos que a radiação e baixa e que não é preciso que nos preocupemos. No entanto, alguma coisa acontecer, ninguém vai admitir que há uma relação com as radiações”, concluiu.