Última hora

Última hora

Gravity: Eva-Maria Brem e André Myhrer brilham no fecho da temporada de esqui

Bem vindos ao último episódio de Gravity desta temporada. A Taça do Mundo de Esqui Alpino terminou este domingo na estância suíça de Saint-Moritz. Só

Em leitura:

Gravity: Eva-Maria Brem e André Myhrer brilham no fecho da temporada de esqui

Tamanho do texto Aa Aa

Bem vindos ao último episódio de Gravity desta temporada. A Taça do Mundo de Esqui Alpino terminou este domingo na estância suíça de Saint-Moritz. Só faltava atribuir um Globo de Cristal, na disciplina de Slalom Gigante, nas mulheres. A austríaca Eva-Maria Brem foi a vencedora.

A competição foi renhida até última prova. Eva-Maria Brem ficou em quarto lugar, o suficiente garantir dois pontos de vantagem sobre a alemã Viktoria Rebensburg e conquistar o Globo de Cristal no Slalom Gigante.
Brem acabou em primeiro a primeira manga. Depois só teve de controlar. A austríaca de 27 anos conquistou pela primeira vez um globo de cristal.

Rebensburg foi a vencedora da prova de Saint-Moritz, uma vitória com sabor a pouco uma vez que não foi suficiente para arrecadar o título da disciplina . A alemã termina assim temporada na segunda posição no Slalom Gigante e fecha o pódio na classificação geral da Taça do Mundo de Esqui Alpino.

Taça do Mundo essa que foi conquistada por Lara Gut. A suíça que a jogar em casa ficou na terceira posição.
A nível global, Gut beneficiou da lesão da principal adversária, a norte-americana Lindsey Vonn e acabou a temporada com mais 300 pontos.

Supresa no Slalom

Último Slalom da temporada, nos homens, uma surpresa. Quando se esperava um duelo entre Henrik Kristoffersen e Marcel Hirscher, apareceu André Myhrer e conquistou o primeiro lugar.

Poucos apostariam numa vitória de Myhrer em Saint-Moritz mas o sueco quis fechar a temporada da melhor forma. Esta foi a sétima vitória de André Myher em provas da Taça do Mundo, a primeira desde 2012. O esquiador escandinavo foi 0,14 segundos mais rápido que o segundo classificado na prova, Marcel Hirscher.

O austríaco que já tinha garantido o Globo de Cristal da Taça do Mundo de Esqui Alpino. Hirscher fecha a temporada com 1795 pontos quase 500 de vantagem para o segundo da classificação geral, Henrik Kristoffersen.

O norueguês, que também já tinha conquistado o Globo de Cristal da disciplina de Slalom, teve um domingo uns furos abaixo do habitual e foi apenas 19º classificado em Saint Moritz.2.

O regresso depois das lesões

Aksel Lund Svindal e Lindsey Vonn estavam na frente da Taça do Mundo antes de se lesionarem, em janeiro e fevereiro, respetivamente. De acordo com o antigo campeão olímpico Franck Piccard, que foi o nosso comentador durante todo o inverno, não vai ser fácil para o norueguês nem para a norte-americana reconquistar a liderança nas provas de velocidade.

Franck Piccard: “Depois de uma lesão, o mais difícil nessa disciplina, é voltar a ganhar a confiança. Se isso acontece num Gigante ou num Slalom, é relativamente fácil, são provas muito mais técnicas. Mas no caso de um super-G ou no Downhill, é necessário recuperar rotinas, recuperar o instinto. É difícil esquecer o incidente que se teve. É mesmo uma questão de confiança”.

O voo de Prevc

Fim de temporada no esqui alpino, fim de temporada também nos Saltos de Esqui com uma prova no enorme trampolim de Planica, na Eslovénia. Quando já não havia mais nada a ganhar ou perder, Peter Prevc voltou a brilhar perante o seu público.

Foi a coroação perfeita.
Peter Prevc, que venceu tudo o que havia para vencer e bateu vários recordes, fechou a temporada com mais um momento de glória. Em casa, na Eslovénia, no trampolim de Planica, Prevc não deu qualquer margem à concorrência. O atleta de 23 anos, na primeira tentativa fez 238 metros, na segunda arrasou com 241.5. No total conquistou 435 pontos e a 15ª vitória da temporada.

Prevc termina assim a classificação geral da Taça do Mundo com 2303 pontos, ou seja, bateu o recorde fixado em 2009 pelo austríaco Gregor Schlierenzauer, que na altura tinha conquistado 2083.
Em segundo lugar ficou o alemão Severin Freund e en terceiro o norueguês Kenneth Gangnes.

It’s Snowtime

Gravity fecha então a temporada. Obrigado por ter estado connosco e obrigado a todos os que participaram neste programa. Terminamos com as imagens mais espectaculares das finais em Saint-Moritz: it’s snowtime !
wtime !