Última hora

Última hora

Manuel Valls: "A Europa fechou os olhos à radicalização islâmica"

“A França e a Europa fecharam os olhos à radicalização islâmica”, disse esta manhã o primeiro-ministro francês Manuel Valls em declarações à emissora

Em leitura:

Manuel Valls: "A Europa fechou os olhos à radicalização islâmica"

Tamanho do texto Aa Aa

“A França e a Europa fecharam os olhos à radicalização islâmica”, disse esta manhã o primeiro-ministro francês Manuel Valls em declarações à emissora de rádio francesa EUROPE 1.

Um dia depois dos atentados que mataram mais de 30 pessoas em Bruxelas, o chefe do governo francês admite que as autoridades francesas ignoraram a expansão do movimento Salafista em França.

“Fechámos os olhos – em França como em toda a Europa – à expansão das ideias extremistas do Salafismo nos bairros onde a combinação do tráfico de droga com o radicalismo islâmico perverteram uma parte da juventude”, disse Valls.

Para o chefe do governo francês, “Trata-se de outra guerra, porque o terrorismo, este terrorismo, o Estado Islâmico, quer destruir-nos, quer destruir os homens e mulheres que somos, o nosso modelo de vida. Os atentados em Paris como em Bruxelas foram ataques anónimos contra o que somos, contra as pessoas que estão nas esplanadas dos cafés, que apanham o avião ou o metro.”

O primeiro-ministro francês tem um encontro esta quarta-feira em Bruxelas com o seu homólogo belga Charles Michel, para discutir o estado das investigações sobre os atentados.

Entretanto, nas ruas de Paris, os acontecimentos de Bruxelas reavivam a memória ainda recente dos atentados de novembro que mataram 130 pessoas na capital francesa.