Última hora

Última hora

Matteo Renzi devolve visita a Rohani e Itália assina mais 6 acordos com Irão

Matteo Renzi devolveu esta semana ao Irão a visita realizada há três meses a Itália pelo presidente Hassan Rohani. Desta vez, não houve registo de

Em leitura:

Matteo Renzi devolve visita a Rohani e Itália assina mais 6 acordos com Irão

Tamanho do texto Aa Aa

Matteo Renzi devolveu esta semana ao Irão a visita realizada há três meses a Itália pelo presidente Hassan Rohani. Desta vez, não houve registo de qualquer choque cultural como o das estátuas históricas tapadas em Roma por respeito à intolerância iraniana às representações de corpos desnudos.

(Receção oficial ao primeiro-ministro Matteo Renzi, o líder da delegação italiana.)

A relação entre os dois países reacendeu-se este ano após o levantamento das sanções internacionais que pendiam há anos sobre o Irão por causa do respetivo programa nuclear. O acordo estabelecido entre Teerão e o grupo internacional P5+1 (as 5 maiores potências mundiais mais a Alemanha) permitiu reabrir a economia iraniana ao mundo.

Primeiro líder de um membros da União Europeia a visitar Teerão desde o levantamento das sanções, o primeiro-ministro italiano foi recebido em Teerão com honras militares, mas o momento alto da visita terão sido as assinaturas de novos acordos comerciais entre os dois países, apadrinhados pelos respetivos chefes de governo. Tal como Rohani quando visitou Roma, Renzi fez-se acompanhar por uma delegação com cerca de 250 representantes políticos e empresarias.

(Primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, lidera delegação de 250 membros de visita a Teerão.)

Aos 30 acordos celebrados há 3 meses em Roma e avaliados em cerca de 17 mil milhões de euros, agora foram assinados mais seis. Rohani espera que a Itália volte a ser o principal parceiro europeu do Irão. Entre os novos acordos, há um na área dos caminhos-de-ferro avaliado em 3,5 mil milhões de euros, mas Renzi realçou que tudo necessita também de uma melhor linha de crédito e financiamento entre os dois países.

Hassan Rohani afirmou que o país tem feito progressos no setor bancário, mas ainda precisa de maior leveza de processos para conseguir acertar alguns detalhes. “Ainda sofremos de alguns efeitos psicológicos dos tempos das sanções”, admitiu o líder iraniano.

“Realizei a minha primeira visita europeia a Itália e a visita de hoje do primeiro-ministro italiano sublinha a mensagem de ambos os países de expansão dos respetivos laços em áreas como a economia, a ciência e a cultura”, afirmou Rohani.

(Italiano Renzi torna-se no primeiro líder de um grande país a visitar o Irão após levantamento das sanções.)