Última hora

Em leitura:

Giro 2016, 14.a etapa: Chavez vence tirada e Kruijswijk veste a "rosa"

Desporto

Giro 2016, 14.a etapa: Chavez vence tirada e Kruijswijk veste a "rosa"

Publicidade

O colombiano Esteban Chaves (Orica Greenedge) venceu este sábado a etapa rainha da 99.a edição da Volta a Itália em bicicleta, com o segundo a cortar a meta, o holandês Steven Kruijswijk (Team Lotto), a ascender à liderança da tabela geral, “sacando” a camisola rosa a Andrey Amador. O costa-riquenho não aguentou a pedalada, numa tirada de montanha com 210 quilómetros e cerca 5400 metros de desnível acumulado, ligando Alpago a Corvara.

Um dos favoritos, o italiano Vincenzo Nibali, tentou atacar a liderança geral, mas o fugitivo do dia foi Darwin Atapuma. A cerca de 50 quilómetros da meta, o colombiano da BMC Racing atacou e chegou a ter mais de 3 minutos de vantagem, mas não aguentou até à meta, foi apanhado e acabou em quarto, a seis segundos do vencedor. No final, Atapuma não conteve as lágrimas.

O despique decisivo acabou por resultar no triunfo de Esteban Chaves, nesta 14.a etapa, o que valeu ao colombiano da Orica um bónus de 10 segundos. Steven Kruijswijk foi segundo, somou mais seis segundos de bónus e saltou para a liderança, a uma semana do final da corrida.

“Sabia que o Esteban Chavez era um adversário muito rápido para o ‘sprint’. Tentei, mas não houve forma de o superar. De qualquer forma, estou muito contente com a etapa e com a camisola rosa. No ano passado vesti a azul, mas esta é outra coisa e muito boa de sentir”, disse no final, no novo líder do “Giro 2016”, sublinhando: “eu e o Chavez temos sido os mais poderosos da corrida.”

Na segunda posição, surge Nibali. O italiano rolou bem neste sábado e cortou a meta pouco mais de meio minuto após o vencedor, mas acabou ultrapassado na geral pelo holandês da Team Lotto.

No final, o ciclista da Astana congratulou-se por ganhar mais de dois minutos de vantagem sobre um dos principais rivais. “Estou feliz por distanciar-me do Alejandro Valverde, mas o Chavez e o Kruijswijk atacaram muito bem. Com a alternância de ritmo fizeram-me passar por maus momentos e tornou-se impossível segui-los”, recordou Nibali.

O anterior líder terminou na 14.a posição. Andrey Amador gastou mais 03,52 minutos do que o vencedor e, na geral, caiu para o quinto lugar, a mais de três minutos do primeiro lugar.

O português André Cardoso (Cannondale) foi 22.° na etapa e segue na 20.A posição da geral, a 23,44 minutos do novo “camisola rosa”. O brasileiro Murilo Fischer cortou a meta, este sábado, no 108.° lugar, a mais de meia hora do primeiro, e ocupa a 161.a posição da classificação geral.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte