Última hora

Em leitura:

Sexta-feira negra nas praças europeias

economia

Sexta-feira negra nas praças europeias

Publicidade

O Brexit provocou quedas históricas nos mercados de capitais, embora, paradoxalmente, o Footsie de Londres, com um recuo de 3,15%, tenha sido o índice que menos desceu entre as principais bolsas do Velho Continente. Em contrapartida, a libra esterlina chegou a afundar 10 por cento face ao dólar americano e atingiu o valor mais baixo dos últimos 31 anos. Os valores imobiliários e os bancários foram os mais afetados.

O professor Ronen Palen, da City University de Londres, considera, no entanto, que o pior pode ainda estar para vir:

“Para mim os dias críticos serão terça e quarta-feira. Os mercados agora fecham para o fim de semana mas se na segunda-feira continuarem a cair e se a queda se prolongar por terça e quarta-feira, então podemos estar perante uma situação semelhante à da falência do Lehman Brothers.”

Recorde-se que o fim do banco americano em 2008 mergulhou o planeta numa crise global.

Do outro lado do Canal da Mancha, o príncipal índice da praça de Paris (CAC40) derreteu 8,04% e o de Frankfurt (DAX) 6,82%. Em Lisboa, o PSI-20 perdeu 6,99 por cento, com o BCP a liderar as perdas. Destaque ainda para a bolsa de Madrid (IBEX) que registou o pior dia da sua história com uma contração de 12,35%.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte