Última hora

Em leitura:

Euro2016, 1/8 final: Portugal-Croácia, 1-0: O minuto 117, a defesa, o golo, a festa

mundo

Euro2016, 1/8 final: Portugal-Croácia, 1-0: O minuto 117, a defesa, o golo, a festa

Publicidade

Após mais de 115 minutos sem oportunidades de golo, num minuto os croatas obrigaram Rui Patrício a grande defesa e sofreram um golo. Quaresma foi o herói que guiou a Seleção à vitória. Segue-sa a Polónia.

Este é um título que não se deve fazer (demasiadas vírgulas), mas neste caso resume da melhor forma o que se passou em Lens. Para este Portugal-Croácia, Fernando Santos mexeu, finalmente, de forma acentuada na estrutura da equipa portuguesa, mas deixou ainda um parafuso por apertar. No meio-campo. Resolvido a abrir a segunda parte.

A Seleção Nacional surgiu melhor, mais organizada e consistente. Embora com uma tática invulgar de assumida contenção, Portugal teve a sorte que lhe faltou noutros momentos e ao primeiro jogo a eliminar, ganhou à Croácia. Um único golo, de Ricardo Quaresma, num contra-ataque mortífero ao cair do pano do prolongamento foi o que bastou.


Três dias apenas depois de ter participado no melhor jogo do Europeu até ao momento (3-3, com a Hungria, a fechar a fase de grupos), a Seleção Nacional apresentou um “11” refrescado em Lens com três estreantes no torneio: Cédric, Adrien e José Fonte.

Desde o primeiro minuto se percebeu qual era a estratégia pedida por Fernando Santos aos jogadores: “dar” a bola ao adversário, contenção, fechar os caminhos para a baliza de Rui Patrício, ter paciência, contar com um pouco de sorte e contra-atacar pela certa. Resultou na perfeição, podemos dizer agora, no final.


Os croatas, liderados por Modric e Rakitic, assumiram o jogo, circularam a bola, mostraram-se mais determinados e fortes que os portugueses nos duelos, mas quase não importunaram Rui Patrício durante 120 minutos, à parte dos muitos cruzamentos conseguidos. Golearam na estatística, mas de pouco serviu.


Portugal não esteve melhor que nos outros jogos, em termos de produção. Com André Gomes no “11”, na primeira parte a equipa das quinas quase não existiu ofensivamente.

Após o intervalo e a entrada do irrequieto Renato Sanches, a equipa soltou-se mais, mas sem conseguir furar a coesa teia defensiva croata. Nem pareceu ter muita vontade disso, mas sim de continuar à espera do momento certo.


Ainda assim, aos 63 minutos pareceu-nos ter ficado um penálti por marcar contra a Croácia. Ronaldo solicitou Nani na área e o extremo foi pontapeado na anca quando tentava dominar a bola de peito. O árbitro deixou seguir.

O jogo foi avançando, os treinadores jogando as suas peças. Portugal revelava-se muito paciente, enervante até, mas o jogo passou ao prolongamento já com Quaresma na equipa portuguesa e Mandzukic substituído na Croácia por Kalinic.


Fernando Santos lançou Danilo no lugar de Adrien, deu músculo e altura ao meio campo para os derradeiros 20 minutos do tempo extra. Portugal continuava a resistir. O minuto 117 foi a antítese do jogo e decidiu tudo.

Num cruzamento da direita, Perisic quase marcou para a Croácia, mas Rui Patrício efetuou grande defesa. Portugal recuperou a bola, por Cristiano Ronaldo, e saiu rápido no contra-ataque como nunca se tinha visto a equipa fazer neste torneio.

Veloz a subir pelo meio, com a bola controlada, Renato Sanches abriu em Nani, na esquerda, cruzamento rasteiro ao segundo poste, remate de Cristiano Ronaldo, defesa de Subasic e recarga triunfante de Quaresma, de cabeça, à boca da baliza. Os croatas caíram de joelhos.


Depois do quarto empate no Euro2016 em jogos de 90 minutos, Portugal teve a sorte do seu lado neste prolongamento. Eliminou a Croácia e vai agora enfrentar, quinta-feira, a Polónia, que horas antes venceu no desempate por penáltis a Suíça.


Ficha de jogo

Estádio Bollaert-Delelis, Lens (35.000 espetadores).
Árbitro: Carlos Vellasco (Espanha).

Croácia: Daniel Subasic; Dario Srna, Vedran Corluka (, Andrej Kramaric120’), Domagoj Vida e Ivan Strinic; Luka Modric e Milan Badelj; Marcelo Brozovic, Ivan Rakitic (Marko Pjaca, 110’)e Ivan Perisic; Mario Mandzukic (Nikola Kalinic, 88’).
Treinador: Ante Cacic.

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, José Fonte e Raphael Guerreiro; William Carvalho (A); João Mário (Quaresma, 87’), Adrien Silva (Danilo, 108’)e André Gomes (Renato Sanches, 50’); Nani e Cristiano Ronaldo.
Treinador: Fernando Santos.

Golo: Ricardo Quaresma (117’).


Artigo seguinte