Última hora

Em leitura:

Retido num avião durante o atentado no aeroporto de Istambul

mundo

Retido num avião durante o atentado no aeroporto de Istambul

Publicidade

O atentado desta noite em Istambul surpreendeu centenas de passageiros, retidos durante várias horas no interior dos aviões, na pista do aeroporto.

Um jornalista da euronews, cujo avião tinha aterrado 15 minutos após os ataques, testemunha:

“Quando aterrámos disseram-nos para permanecermos no aparelho por razões de segurança. Uma espera ainda mais longa, quando não voltaram a falar para esclarecer o que se estava a passar”.

“Foi através da Internet que soubemos as primeiras informações. E vários familiares ligaram-nos e explicaram a situação no aeroporto, que tinha sido alvo de um atentado terrorista”.

“Dentro do avião a situação tornou-se tensa, as pessoas discutiam porque queriam fumar, as crianças começavam a ficar irrequietas. Mas o mais triste é que ninguém se mostrava realmente surpreendido, como se toda a gente se tivesse habituado a este tipo de incidentes.E este sentimento é tão trágico quanto o próprio atentado”.

“Nas primeiras duas horas e meia, três horas, não tivemos informações suficientes. Depois anunciaram que o aeroporto estava encerrado. Trouxeram-nos alguma comida e bebidas, mas agora já não temos sequer água”.

“Informaram-nos que vamos poder sair em breve do avião e que teríamos que abandonar o aeroporto, após recuperar a bagagem, sem passar pelo edifício do terminal internacional. Ainda estamos à espera dentro do avião”.

“Soubemos agora que decidiram evacuar primeiro o terminal internacional, seguido do terminal de voos internos. Vemos alguma informação nas redes sociais, mas a ligação à internet é cada vez mais lenta”.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte