Última hora

Em leitura:

Tour2016: Belga Van Avermaet conquista amarela, Rui Costa perde terreno

Desporto

Tour2016: Belga Van Avermaet conquista amarela, Rui Costa perde terreno

Publicidade

O belga Greg Van Avermaet venceu esta quarta-feira isolado a quinta etapa da Volta a França e assumiu a liderança da geral. O belga da BMC mostrou que não é um mero especialista em ‘clássicas’, lançando-se numa fuga na maior parte dos 216 quilómetros entre Limoges e Le Liorane e conquistou a amarela.

No maciço central francês, num dia em que Alberto Contador (Tinkoff) foi ‘abandonado’ pela sua equipa e perdeu tempo para os restantes candidatos da geral e que Vincenzo Nibali (Astana) mostrou não estar no Tour para lutar pela amarela, o belga andou cerca de 200 quilómetros em fuga, primeiro com companhia, depois em solitário, para chegar à impensável liderança da maior prova velocipédica internacional.

“É estupendo. Nunca pensei que vestiria a camisola amarela. É um grande sonho tornado realidade. Fiquei feliz ao ganhar uma etapa no ano passado, agora tenho uma etapa e a amarela. Penso que será uma oportunidade única na minha vida, por isso, vou desfrutar o mais possível”, disse o combativo ciclista da BMC, que no início da temporada venceu a Tirreno-Adriático.

Le Lioran provou ser um local talismã não só para Greg Van Avermaet, que cumpriu os 216 quilómetros entre Limoges e a meta em 5:31.36 horas, mas para os belgas, que têm um registo 100 por cento vitorioso na cidade francesa e que hoje fizeram primeiro e segundo (por intermédio de Thomas De Gendt) pela primeira vez desde 2007, quando Gert Steegmans bateu Tom Boonen, em Gent (Bélgica).

Mas, para lá chegar, o quinto ciclista da BMC a vestir de amarelo no Tour teve muito de pedalar. O combativo belga, que no ano passado venceu a batalha dos eternos segundos com Peter Sagan (Tinkoff), o eslovaco que hoje perdeu a liderança da geral, para triunfar na 13.ª etapa, integrou a precoce fuga do dia, composta por nove corredores.

Além de Van Avermaet, saltaram do pelotão logo nos quilómetros iniciais Thomas De Gendt (Lotto-Soudal), Cyril Gautier (AG2R), Serge Pauwels (Dimension Data), Rafal Majka (Tinkoff), Andriy Grivko (Astana), Bartosz Huzarski (Bora-Argon 18), Romain Sicard (Direct Energie) e Florian Vachon (Fortuneo-Vital Concept).

O grupo de nove ficou reduzido a três perto do quilómetro 120, quando, cansados da pouca colaboração dos seus companheiros, os dois belgas e Andriy Grivko aceleraram e ficaram isolados na frente.

Já em formato trio, e com a Sky lá atrás a perseguir, a fuga chegou aos 15 minutos de vantagem, numa clara mensagem de despreocupação dos favoritos (o ‘classicómano’ não é encarado como uma ameaça à geral), que só acordaram perto dos 35 quilómetros finais, quando a Movistar, com Nelson Oliveira em evidência, impôs um ritmo forte na dianteira do pelotão.

O resultado imediato, mais do que a queda da desvantagem para os homens da frente, foi a ‘eliminação’ de Vincenzo Nibali (Astana), o vencedor do Giro2016, e de Rui Costa (Lampre-Merida), que perderam 13.45 minutos na meta para Van Avermaet.

Com a vitória na quinta etapa entregue aos fugitivos, foi o homem da BMC a sacudir o grupo a 17 quilómetros de Le Lioran, lançando, com uma pedalada mais semelhante à de um trepador, uma investida que nem o voluntarioso De Gendt, um dos mais conhecidos sempre-em-fuga do pelotão, conseguiu acompanhar.

O homem da Lotto-Soudal aguentou a perseguição do grupo de fugitivos, sendo segundo, a 02.34 minutos do seu compatriota.

Mas seria uma aceleração do ‘local’ Romain Bardet (AG2R) na última contagem das seis da jornada a causar a grande notícia do dia na luta pela amarela: Alberto Contador ficou cortado e, sem o apoio dos companheiros (Romain Kreuziger continua a fingir-se ‘cego’ nos maus momentos do espanhol), perdeu 33 segundos para os outros candidatos, que cruzaram a linha com um atraso de 5.07 minutos para o vencedor, e é agora 25.º da geral, a 6.38.

Depois da acidentada quinta etapa, Van Avermaet promete ficar, pelo menos mais um dia, na liderança, já que, na quinta-feira, vai partir para a quase plana ligação de 190,5 quilómetros entre Arpajon-sur-Cère e Montauban com 5.11 minutos de vantagem sobre o francês Julian Alaphilippe (Etixx-QuickStep), o segundo, e 5.13 sobre Alejandro Valverde (Movistar), o terceiro.

Entre os portugueses, Rui Costa desceu à 47.ª posição (está a 13.55 minutos da amarela) e Nelson Oliveira ao 154.º posto, perdendo já 34.44 minutos para o belga da BMC.

Na quinta-feira, cumpre-se a sexta etapa da Volta a França, uma ligação de 190,5 entre Arpajon-sur-Cère e Montauban.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte