Última hora

Em leitura:

"Cafe Society": Woody Allen adora o glamour e o jazz dos anos 30


cinema

"Cafe Society": Woody Allen adora o glamour e o jazz dos anos 30

Não há nada de novo na mais recente comédia romântica de Woody Allen, mas, “Cafe Society” não deixa de ter o seu encanto. O cineasta norte-americano transporta-nos para um dos seus universos favoritos, o dos anos 30, com glamour e jazz à mistura.

“Foi divertido em termos estéticos, porque as pessoas que trabalham com o Woody Allen prestam muita atenção aos detalhes. As roupas são perfeitas. O período em que se desenrola a história adequa-se perfeitamente ao argumento”, sublinhou a atriz Kristen Stewart, uma das protagonistas da longa-metragem.

Jesse Eisenberg veste a pele de um jovem que chega a Hollywood na esperança de trabalhar na indústria do cinema. Blake Lively incarna o papel de uma mulher divorciada que cruza o caminho do protagonista.

“É ótimo fazer um filme de época com o Woody Allen e o Vittorio Storaro. A história é contada de uma forma linda. A música do Woody é muito especial, nomeadamente, a música dos anos 30”, disse Blake Lively.

A atriz afirma que Woody Allen transmite confiança aos atores.

“É um pouco stressante trabalhar com um ícone da realização. Mas sentimos uma certa confiança porque ele sabe o que está a fazer. Por isso, sentimo-nos mais seguros e sentimos que fazemos parte de um filme de qualidade”, sublinhou Blake Lively.

O novo filme de Woody Allen chega este verão às salas de cinema europeias. Em Portugal, vai ser preciso esperar até 20 de outubro para conhecer “Cafe Society”.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
"Amor e amizade": uma excelente adaptação do universo mordaz de Jane Austen

cinema

"Amor e amizade": uma excelente adaptação do universo mordaz de Jane Austen