Última hora

Em leitura:

Turquia: Prolongada prisão preventiva até 30 dias

mundo

Turquia: Prolongada prisão preventiva até 30 dias

Publicidade

Na Turquia, um decreto-lei publicado este sábado, sobre o estado de emergência, amplia para: de 4 até 30 dias a duração da prisão preventiva, desde “a detenção do suspeito”.

Até aqui o período legal que uma pessoa podia estar detida, antes de ser presente ao juiz, era de quatro dias.

O mesmo decreto-lei dissolve também milhares de estruturas e instituições, incluindo escolas, outras organizações ligadas à educação e à solidariedade social, relacionadas com Fetullah Gulen.

Esta sexta-feira, o Presidente turco afirmou, que foram detidas 11 mil pessoas, preventivamente, por ligações à tentativa de golpe de Estado que aconteceu há uma semana. Recep Tayyip Erdogan adiantou ainda que as Forças Armadas do país vão ser reestruturadas e reformadas com “sangue novo”.

Fetullah Gulen, que Ancara acusa de ser o mentor da tentativa de golpe de Estado, está exilado nos Estados Unidos. A Turquia diz que precisa de cerca de 10 dias para apresentar aos norte-americanos um dossier com o pedido da sua extradição.

Entretanto foi detido, segundo a agência de notícias turca, um sobrinho do clérigo acusado de ser um dos instigadores da tentativa de golpe de Estado.

Por outro lado, as autoridades turcas decidiram libertar 1200 militares não graduados por considerarem que se limitaram a cumprir ordens superiores.

A tentativa de golpe de Estado de 15 de julho terminou com 265 mortos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte