Última hora

Em leitura:

EUA: Homem que tentou assassinar Ronald Reagan pode ser libertado

mundo

EUA: Homem que tentou assassinar Ronald Reagan pode ser libertado

Publicidade

John Hinckley, o homem que em 1981 tentou assassinar Ronald Regan, o então presidente dos Estados Unidos da América, pode ser libertado do hospital psiquiátrico para ir viver com a mãe.

A decisão partiu do juiz federal norte-americano Paul Friedman e a libertação pode ocorrer já a 5 de agosto.

A ordem judicial coloca um conjunto de condições sobre “a licença de convalescença em tempo integral” de John Hinckley do hospital psiquiátrico St. Elizabeths em Washington.

Hinckley tentou assassinar Reagan à saída do hotel Hilton, em Washington, no dia 30 de março de 1981. O então presidente teve um pulmão perfurado. Outras três pessoas ficaram feridas, incluindo o assessor de imprensa da Casa Branca, James Brady, o mais afetado.

Hinckley alegou que pretendia impressionar a atriz norte-americana Jodie Foster, por quem vivia obcecado desde que viu o filme “Taxi Driver”.

Durante o julgamento, em 1982, o atirador foi declarado “inocente” por ser penalmente inimputável, e internado no hospital psiquiátrico St. Elizabeth’s, onde se manteve até agora.

Os membros da família do antigo presidente contestaram a libertação de John Hinckley, uma Fundação e Instituto Ronald Reagan.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte