Última hora

Em leitura:

Erdoğan pede "perdão" aos turcos por não ter visto o "verdadeiro rosto" de Gülen e de "conspiradores"

mundo

Erdoğan pede "perdão" aos turcos por não ter visto o "verdadeiro rosto" de Gülen e de "conspiradores"

Publicidade

Numa reunião com líderes religiosos em Ancara o presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, adotou, esta terça-feira, um tom confessional e pediu “perdão” por não ter sido capaz de ver o “verdadeiro rosto” do clérigo Fethullah Gülen e do movimento daqueles que chama de “conspiradores.”

Erdoğan acusa Gülen de estar por trás da tentativa falhada de golpe de Estado na Turquia: “A nível pessoal, apesar de terem facetas com as quais não concordava, ajudei-os pensado que estávamos de acordo em pontos básicos comuns.”

O contexto ditava um tom moderado, mas Erdoğan deixou avisos aos seguidores de Gulën, antigo aliado do presidente turco que agora se encontra exilado nos Estados Unidos: “A partir de agora todos os que continuarem a dar atenção aos delírios do charlatão, terrorista chefe na Pensilvânia, aceitam antecipadamente o que lhes vai acontecer.”

As relações entre Erdoğan e Gulën degradaram-se em 2013 na sequência de revelações de um caso de corrupção que envolveu ministros próximos do presidente turco.

A Turquia quer a extradição de Gulën dos Estados Unidos.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte