Última hora

Última hora

Palestina sem luto por Shimon Peres

Quarta feira foi o dia em que o mundo conheceu a morte de Shimon Peres, o último dos fundadores do Estado de Israel, em 1948.

Em leitura:

Palestina sem luto por Shimon Peres

Tamanho do texto Aa Aa

Quarta feira foi o dia em que o mundo conheceu a morte de Shimon Peres, o último dos fundadores do Estado de Israel, em 1948.

Nos territórios palestinianos, há ausência de luto nas reacções ao desaparecimento do antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Primeiro Ministro, Prémio Nobel da Paz, e Presidente de Israel:

““Ele cometeu muitos crimes, um deles foi em Qana”:http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2006/07/060730_libanoqanaanalise_crg.shtml. É sabido que matou muitos palestinianos, mas, apesar disso, foi um líder moderado. Shimon Peres costumava apelar à paz e à convivência pacífica entre árabes e israelitas na mesma zona.”, diz Halim Jaber, palestiniano de Ramallah.

A primeira intenção política foi cumprida, a de fundar o Estado de Israel, a segunda foi atingir a paz com os palestinianos.

Shimon Peres morreu sem cumprir o objectivo.

O porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri, atribui a esta morte o início de um outro ciclo no conflito: “Shimon Peres foi o último da geração de co-fundadores da ocupação israelita e, portanto, a sua morte representa o fim de uma era na história da ocupação e o início de uma nova era de enfraquecimento e retirada da entidade sionista; asseguramos que o povo palestiniano está feliz com o desaparecimento deste criminoso que esteve envolvido em muitos crimes e no derramamento de sangue do povo palestiniano.”

Não se sabe se Mahmoud Abbas, Presidente palestiniano, estará presente no funeral, em Jerusalém, mas emitiu um comunicado onde regista as condolências à família, expressando “tristeza e pena” e elogiando os “esforços intensos para atingir uma paz duradoura até aos últimos dias” de Shimon Peres.