Última hora

Última hora

As razões que têm atraído tantos investimentos a Malopolska

Que tipo de prospeção efetuam as empresas internacionais antes de investir em novos mercados?

Em leitura:

As razões que têm atraído tantos investimentos a Malopolska

Tamanho do texto Aa Aa

Que tipo de prospeção efetuam as empresas internacionais antes de investir em novos mercados? Escolhemos o exemplo da americana Motorola que, nos anos 90, escolheu Cracóvia, na Polónia, para instalar o seu primeiro centro europeu de software. Porquê?

Malopolska em resumo:

  • Cracóvia surge no 9° lugar das cidades mais atrativas para as empresas no ranking da “Tholons Top 100 Outsourcing Destinations 2016”
  • A cidade ocupa o 4° lugar no relatório da fDi “European Cities and Regions of the Future 2016/2017”
  • O imposto sobre as empresas é de 19%
  • O PIB desta região polaca representa 7,8% do total nacional

A região de Malopolska acolhe atualmente mais de 350 mil empresas, sendo um dos grandes polos económicos deste país. Em 1998, o gigante de telecomunicações Motorola tornou-se no primeiro investidor internacional a apostar na capital desta região, Cracóvia. Na altura, recrutou três dezenas de trabalhadores. Hoje em dia, são mais de 1300, repartidos sobretudo entre os departamentos de Design de Software e Tecnologias de Informação.

O diretor nacional, Jacek Drabik, salienta que “há dois elementos essenciais no mundo do software: números e qualidade. Em termos de recursos humanos, a Polónia é uma escolha natural, porque apresenta níveis de educação bastante elevados. A cidade de Cracóvia concentra muita gente talentosa. Nós fomos os primeiros a investir aqui. A colaboração tanto com o governo local como com as universidades – que sempre foi excelente – foi crucial para nos instalarmos nesta cidade.”

Multiplicar a rede de contactos

Uma história de sucesso que inspirou outras empresas a apostarem na chamada Zona Económica Especial de Cracóvia, onde coabitam mais de 50 unidades industriais, seja no setor do mobiliário, da siderurgia, dos transportes, entre outros. 79% das exportações polacas destinam-se à União Europeia.

Entre as fábricas locais, a Rys, que produz móveis, é considerada uma das mais modernas de todo o país. “Estamos a ter um desenvolvimento muito acelerado, sobretudo nas exportações, graças à rede de contactos que é possível estabelecer nesta região com empresas estrangeiras”, aponta o responsável Bogdan Gogol.

O Fórum Económico Krynica é um evento destinado precisamente a incrementar contactos entre empresários, sendo uma plataforma que o governo regional aproveita para atrair potenciais investidores. Como refere Jacek Krupa, representante governamental, foi criado em Malopolska “uma espécie de balcão único – chamado ‘Business in Malopolska’ -, onde os investidores podem descobrir as vantagens que a nossa região oferece. Os investidores que pretendam apostar aqui podem usufruir de incentivos fiscais que se prolongam durante anos após a conclusão do investimento.”

O Programa Operacional Regional 2020 prevê a canalização de fundos diversos a Malopolska e oferece aos jovens um mapa de oportunidades no país.

Jacek Krupa