Última hora

Última hora

Rússia envia míssil S-300 para a Síria

A Rússia enviou um míssil S-300, um dos mais letais sistemas de defesa aérea, para a sua base naval do porto de Tartus, na Síria.

Em leitura:

Rússia envia míssil S-300 para a Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia enviou um míssil S-300, um dos mais letais sistemas de defesa aérea, para a sua base naval do porto de Tartus, na Síria.

O objectivo é apenas garantir a segurança da base e “não é uma ameaça para ninguém”, diz o porta-voz do ministro da defesa russo.

O cessar-fogo negociado entre a Rússia e os Estados Unidos para a Síria falhou no mês passado e Washington anunciou esta segunda-feira a suspensão das discussões bilaterais com a Rússia por incumprimento desta com o acordado.

Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros russo, afirma: “Mas nós não vamos desistir. Vamos lutar para que as decisões do Conselho de Segurança das Nações Unidas sejam cumpridas. Acreditamos que o grupo de apoio internacional à Síria pode e deve ter um importante papel nisso.”

John Kerry, secretário de Estado americano, declarou esta terça que quer a Rússia quer o regime de Bashar al-Assad, presidente sírio, rejeitavam a diplomacia optando por perseguir uma vitória militar: “Vamos continuar, como antes, a tentar obter um cessar-fogo significante, sustentável e concretizável no país. Isso inclui a imobilização dos meios de combate aéreos russos e sírios em áreas designadas. A Rússia sabe exactamente o que precisa fazer.”

No terreno não há sinais de paz à medida que se persegue o objectivo de expulsar de Alepo os rebeldes anti-Assad, reganhando assim o seu último grande reduto urbano.

Estados Unidos e outros países ocidentais acusam Moscovo e Damasco de crimes de guerra por atingirem deliberadamente civis, hospitais e ajuda humanitária.

Há mais de 250 mil pessoas presas em Alepo.