Donald Trump em 2005: "Quando és uma estrela elas deixam-te fazer tudo"

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com Washington Post, reuters
Donald Trump em 2005: "Quando és uma estrela elas deixam-te fazer tudo"

<p>Donald Trump tem mais uma pedra no caminho da sua campanha para presidente dos Estados Unidos. A 48 horas do segundo debate com Hillary Clinton, o candidato republicano viu uma comprometedora conversa privada de 2005 ser revelada pelo jornal Washington Post e a rival democrata não perdoou.</p> <p>A conversa aconteceu num autocarro e decorreu com Billy Bush, à altura apresentador do programa de televisão “Access Hoyllywood”. Terá sido gravado meses depois do casamento com a terceira mulher do magnata, Melania.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Trump recorded having extremely lewd conversation about women in 2005 <a href="https://t.co/zMCkOqS2X6">https://t.co/zMCkOqS2X6</a></p>— Washington Post (@washingtonpost) <a href="https://twitter.com/washingtonpost/status/784545120964272130">8 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Na gravação, Donald Trump relata a tentativa falhada de se envolver com uma mulher casada e da tentação irresistível em beijar mulheres bonitas. “É como um íman e quando és uma estrela, elas deixam-te. Podes fazer tudo”, ouve-se Trump a dizer a certa altura.</p> <iframe width='100%' height='290' scrolling='no' src='//www.washingtonpost.com/video/c/embed/3bf16d1e-8caf-11e6-8cdc-4fbb1973b506' frameborder='0' webkitallowfullscreen mozallowfullscreen allowfullscreen></iframe> <p>O candidato republicano já pediu desculpa pelo caso. Num curto comunicado, Donald Trump alega tratar-se de “brincadeira de balneário” e de “uma conversa privada tida há muitos anos”. “Bill Clinton já me disse bem pior no campo de golfe”, acrescenta Trump, procurando abrir a porta aos escândalos familiares da rival.</p> <p>A candidata democrata aproveitou para atacar: “Isto é horrível. Não podemos deixar este homem chegar a Presidente”; “As mulheres têm o poder de parar Trump”, escreveu Hillary Clinton nas redes sociais.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">This is horrific. We cannot allow this man to become president. <a href="https://t.co/RwhW7yeFI2">https://t.co/RwhW7yeFI2</a></p>— Hillary Clinton (@HillaryClinton) <a href="https://twitter.com/HillaryClinton/status/784497331647422464">7 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <blockquote class="twitter-video" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Women have the power to stop Trump.<a href="https://t.co/tTgeqy51PU">https://t.co/tTgeqy51PU</a><a href="https://t.co/VH3woeAf9Q">https://t.co/VH3woeAf9Q</a> <a href="https://t.co/NjvbkPsjPR">pic.twitter.com/NjvbkPsjPR</a></p>— Hillary Clinton (@HillaryClinton) <a href="https://twitter.com/HillaryClinton/status/784542470847631360">7 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Este domingo, contudo, os dois vão voltar a ter oportunidade de falar olhos nos olhos depois do primeiro duelo, realizado no final de setembro. </p> <p>Na altura, o frente a frente foi favorável à democrata, mas Trump deixou no ar que este domingo poderia apostar trazer o campo pessoal para a discussão, em especial os casos extraconjugais do casal Clinton, mas, se calhar, após estas recentes notícias, essa pode revelar-se não ser a melhor estratégia.</p> <p>Até do lado republicano surgiram críticas a Trump pelo teor da gravação do Washington Post. “Como avô de duas raparigas preciosas, considero que nenhuma desculpa pode amenizar os repreensíveis comentários de Donald Trump a humilhar as mulheres”, escreveu no Twitter Jeb Bush, um dos candidatos presidenciais nas primárias republicanas, filho e irmão dos dois últimos presidentes republicanos dos Estados Unidos, respetivamente, George H. W. Bush (1989-1993) e George W. Bush (2011-2009).</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">As the grandfather of two precious girls, I find that no apology can excuse away Donald Trump's reprehensible comments degrading women.</p>— Jeb Bush (@JebBush) <a href="https://twitter.com/JebBush/status/784530223605903360">7 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Ryan to Trump: Don’t campaign with me <a href="https://t.co/0uinpmAu6U">https://t.co/0uinpmAu6U</a></p>— Washington Post (@washingtonpost) <a href="https://twitter.com/washingtonpost/status/784594908627730432">8 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <script type="text/javascript" src="https://dujy1obvgbkk2.cloudfront.net/widgets/index.js" data-showtbox-include data-widget-type="us_election" data-height="300px" data-width="100%" data-widget-country="FR" data-widget-lang="PT" data-partner-id="aecb79bb-3f90-4e4a-abbc-57841999cd4e" data-fullscreen-link="https://www.showt.com/us-election/PT"> </script>