This content is not available in your region

Moody's ameaça Reino Unido com despromoção face ao "Brexit"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Moody's ameaça Reino Unido com despromoção face ao "Brexit"

<p>A agência norte-americana Moody’s avisou esta quarta-feira o Reino Unido de que poderá vir a baixar a classificação do crédito britânico caso Londres não consiga um acordo de saída da União Europeia que proteja o acesso britânico ao mercado comum.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Moody's has warned the UK's sovereign credit rating could be cut if it loses core access to the EU single market <a href="https://t.co/a5wZge9T9G">https://t.co/a5wZge9T9G</a> <a href="https://t.co/8JHVBkIUMS">pic.twitter.com/8JHVBkIUMS</a></p>— Financial Times (@FT) <a href="https://twitter.com/FT/status/793840613678604288">2 de novembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>A primeira-ministra Theresa May anunciou pretender ativar até final de março o artigo 50 do Tratado de Lisboa, mecanismo que dará início de forma oficial ao “Brexit”, o processo de divórcio entre o Reino unido e a União Europeia aprovado em referendo a 23 de junho.</p> <p>A Moody’s antecipa que, seja qual for o resultado da negociação entre Londres e Bruxelas, o crescimento da economia britânica irá enfraquecer a médio prazo, mas o grau de acesso ao mercado comum será decisivo para o nível de confiança no crédito britânico.</p> <p>Para já, a agência norte-americana avalia o crédito do Reino Unido como “Aa1”, isto é, o nível mais alto do grau elevado a longo prazo, com risco muito baixo. Esta avaliação poderá vir a ser, contudo, gravemente afetada caso o “Brexit” venha a gerar uma barreira entre os britânicos e o mercado comum europeu.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="pt" dir="ltr">Moody’s vê estabilidade para a banca portuguesa. Sem melhorias ou piorias <a href="https://t.co/4T9ZnR18Lu">https://t.co/4T9ZnR18Lu</a></p>— Jornal de Negócios (@JNegocios) <a href="https://twitter.com/JNegocios/status/793008058704297984">31 de outubro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>