This content is not available in your region

EUA: Protestos na Universidade de Luisiana contra presença de ex-líder do Ku Klux Klan

Access to the comments Comentários
De  Euronews
EUA: Protestos na Universidade de Luisiana contra presença de ex-líder do Ku Klux Klan

<p>Nos Estados Unidos, dezenas de estudantes manifestaram-se na Universidade de Dillar, no Luisiana, contra a participação de um ex-líder do Ku Klux Klan num debate político. Os alunos forçaram a entrada no estabelecimento e acabaram por desencadear conflontos com a polícia. David Duke foi grão-mestre da organização de extrema direita e agora espera alcançar um lugar no Senado.</p> <p>Os estudantes, a maioria afro-americanos, mostraram a indignação pela presença de Duke, um racista declarado, e a polícia respondem com gás pimenta e sem contemplações.</p> <p>Este caso surge numa altura em que o jornal oficial Ku Klux Klan publicou uma fotografia de Donald Trump na primeira página com o slogan “Tornar a América grande novamente” numa demosntração de apoio. Desta vez, campanha do republicano apressou-se a repudiar a organização.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="en" dir="ltr">“The Crusader” is the official newspaper of the <span class="caps">KKK</span>. <a href="https://twitter.com/hashtag/MAGA?src=hash">#MAGA</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/DonaldTrump?src=hash">#DonaldTrump</a> <a href="https://t.co/mBTvLOFU9u">pic.twitter.com/mBTvLOFU9u</a></p>— Billy Gee (@billygee12) <a href="https://twitter.com/billygee12/status/793276827619897345">1 novembre 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>David Duke, antigo grão-mestre do Ku Klux Klan, já em fevereiro deste ano, tinha dito publicamente que apoiava Donald Trump, apelando a todos os seus seguidores a votarem no empresário norte-americano. Na altura, o milionário foi muito evasivo sem se afastar completamente deste apoio.</p>