Haiti luta contra a cólera

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Haiti luta contra a cólera

<p>O Haiti lançou uma campanha maciça de vacinação contra a cólera em áreas devastadas pelo furacão Matthew, que atingiu o país a 4 de outubro e fez mais de mil mortos.</p> <p>A campanha começou esta semana e visa cerca de 820 mil pessoas.</p> <p>O Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários estima que pelo menos 3500 pessoas tenham sido afetadas com cólera desde a passagem do furacão. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Hello <a href="https://twitter.com/Jacquiecharles">@Jacquiecharles</a>, do you know if they have official documents of 3K patients? Also, is the <a href="https://twitter.com/hashtag/OCHA?src=hash">#OCHA</a> part of the Haitian govt.?</p>— Daniella Bien-Aime (@dbienaime) <a href="https://twitter.com/dbienaime/status/793588542421274628">1 de novembro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Jean-Luc Poncelet, representante da <a href="http://www.who.int/eportuguese/countries/prt/pt/">Organização Mundial da Saúde</a>, refere: “O principal desafio desta campanha de vacinação é chegar a todos. Há áreas onde o acesso é difícil. Mesmo antes da passagem do furacão eram zonas difíceis de chegar. O furacão veio complicar o acesso a esses locais. Por isso, o transporte por terra, a travessia de pontes, etc., é muito difícil. <br /> O outro desafio é a segurança. Temos de garantir que não há problemas, que as pessoas podem obter os tratamentos sem interferência de manifestações ou outras situações adversas”.</p> <p>A epidemia chegou ao Haiti após o terramoto de 2010, introduzida acidentalmente por membros das forças de manutenção de paz das Nações Unidas. </p> <p>Desde então, mais de 800 mil pessoas foram afetadas pela doença e cerca de 9 mil morreram.</p>