Última hora

Última hora

Chefes da diplomacia da UE debatem vitória de Trump em "jantar informal"

Reunidos num “jantar informal” em Bruxelas, os chefes da diplomacia da União Europeia esforçaram-se por desdramatizar as relações com a futura administração norte-americana conduzida por Donald Trump,

Em leitura:

Chefes da diplomacia da UE debatem vitória de Trump em "jantar informal"

Tamanho do texto Aa Aa

Reunidos num “jantar informal” em Bruxelas, os chefes da diplomacia da União Europeia esforçaram-se por desdramatizar as relações com a futura administração norte-americana conduzida por Donald Trump, defendendo uma “parceria bastante forte” com Washington.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia, Miroslav Lajcak, afirmou que estão “conscientes de que haverá uma visão mais à americana” do outro lado do Atlântico, “por isso deve haver mais Europa deste lado. Mas ninguém questiona o resultado das eleições e a disponibilidade para trabalhar com os Estados Unidos”.

O encontro ficou marcado pela ausência do homólogo francês, Jean-Marc Ayrault, por “razões de agenda” e, em particular, do britânico Boris Johnson, defensor do Brexit, que disse “não ver a utilidade” desta reunião extraordinária.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, ironizou, dizendo que “alguns na Europa surpreendem-se mais quando esse país está presente na mesa dos 28 do que quando está ausente. É apenas normal que um país que decidiu sair da União Europeia não esteja tão interessado nas discussões acerca do futuro das relações com os Estados Unidos”.

Segundo a correspondente da euronews, Efi Koutsokosta, “a maioria dos ministros tentou retirar importância a este jantar, que a imprensa e alguns responsáveis europeus diziam resultar do pânico face à vitória de Trump. Apesar de muitos dizerem estar à espera para ver a nova direção da política externa norte-americana, há uma grande preocupação, por exemplo, no que diz respeito às relações com a Rússia, um assunto que divide os Estados-membros”.