Última hora

Em leitura:

Síria: Rebeldes recusam render-se enquanto combates se intensificam em Alepo


Síria

Síria: Rebeldes recusam render-se enquanto combates se intensificam em Alepo

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Os rebeldes sírios de Alepo não vão render-se, garante uma fonte da rebelião, que promete continuar a lutar, quando os ataques aéreos de Damasco se intensificam, na zona leste da cidade, atingindo mesmo áreas da cidade antiga.

Nos últimos dias, dos terços da zona leste de Alepo foram reconquistados.

Os bombardeamentos desta quarta-feira provocaram, pelo menos, 45 mortos e mais uns milhares de refugiados, sobretudo mulheres e crianças.

“Mais de 8500 civis, incluindo cerca de 4000 crianças, escaparam das zonas controladas por grupos armados, que incluem a Jabhat Fateh al-Sham (antiga Frente Nusra), aproveitando-se do caos da retirada dos rebeldes”, explicou Maria Zakharova, porta-voz do ministério russo dos Negócios Estrangeiros.

Segundo a Cruz Vermelha, desde domingo, 20.000 pessoas fugiram da zona leste de Alepo e, desde agosto, mais de 40.000 abandonaram zona de combate na área ocidental.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos do Homem, sediado em Londres, Damasco estará a deter centenas de pessoas que fogem da zona rebelde. Fontes militares sírias dizem tratar-se apenas de controlos de identidade – para confirmar que não haja rebeldes escondidos entre a população em fuga – e quem não tenha papéis é transportado para “zonas específicas”.

“Estamos extremamente preocupados com a situação, em especial das crianças”, diz a porta-voz do Programa Alimentar Mundial da ONU, Bettina Luescher, que continua: “as crianças são muito mais vulneráveis do que os adultos e ficam fragilizados muito mais depressa.”

Segundo a UNICEF, mais de 100.000 crianças continuam a habitar na zona leste de Alepo e vivem um “verdadeiro inferno”, garante a organização.

Desde o início do ano, na Síria, 84 escolas foram atacadas, provocando a morte de 69 crianças.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Mnuchin: Ex-Goldman Sachs é o "tesouro" de Donald Trump