Última hora

Ajude a Europol a tornar a Europa mais segura neste Natal: Há recompensa!

O serviço europeu de Polícia inicia uma campanha para apertar o cerco a 23 dos fugitivos mais procurados no Velho Continente e o primeiro destacado é um assassino austríaco, com um prémio pela captura

Em leitura:

Ajude a Europol a tornar a Europa mais segura neste Natal: Há recompensa!

Tamanho do texto Aa Aa

Um calendário de crime e violência. A partir desta quinta-feira e durante 23 dias, o Serviço Europeu de Polícia (Europol), em colaboração com 23 países mais a Rede Europeia de Equipas de Busca Ativa de Fugitivos (ENFAST, na sigla em inglês), vai publicar a fotografia de um criminoso procurado por um Estado-membro diferente e destacado da lista dos mais procurados da Europa.

Ao todo serão 23 criminosos em fuga e o objetivo é combinar esforços para capturar cada um deles antes do Natal com o apoio dos cidadãos. “As vítimas, os amigos delas e os familiares estão a pedir o vosso apoio”, lê-se no comunicado de imprensa publicado quinta-feira pela Europol.

O primeiro criminoso foi revelado esta quinta-feira e é um austríaco de 60 anos, identificado como Tibor Foco. Condenado a prisão perpétua pelo assassínio de uma prostituta com um tiro na cabeça, em 1986, aproveitou uma licença para saída temporária da prisão, fugiu há 21 anos com recurso a uma moto Kawasaki GPX e é procurado pelas autoridades da Áustria.

De acordo com as informações divulgadas, Tibor Foco terá cerca de 1,75 metro de altura, olhos azuis, cicatrizes nos braços e é fluente, além do alemão nativo, em inglês, francês e húngaro. Em caso de informações que levem à captura do fugitivo, existe uma recompensa de 2900 euros.

Os criminosos destacados nesta campanha da Europol fazem parte da lista dos mais procuradores pela instituição na Europa e entre eles está um luso-brasileiro. Gustavo Martins Gomes tem 41 anos e é procurado por exploração sexual de crianças e pornografia infantil.

O luso-brasileiro trabalhou como “Chef” num restaurante de Rye, Sussex Leste, no Reino Unido e foi denunciado há oito anos por uma menina de seis anos, que teria molestado sexualmente. A criança fez queixa imediata à mãe e um exame de ADN completo identificou uma correspondência a Gustavo Martins Gomes no local do crime.

Após ter sido detido num primeiro momento, o suspeito falhou a apresentação seguinte junto da polícia e está fugido desde então, havendo possibilidade de já ter deixado o Reino Unido. Desconhecemos, para já, se Gustavo Martins Gomes irá fazer parte dos 23 suspeitos a serem destacados pela Europol até dia 23 de dezembro.