Última hora

Em leitura:

Franceses dão cartas em Val d'Isère


gravity

Franceses dão cartas em Val d'Isère

Competir em casa é uma vantagem e não serão os franceses a dizer o contrário. Quatro nos cinco primeiros no slalom gigante de Val d’Isère e vitória para Mathieu Faivre.

O francês de 24 anos de idade já por duas vezes tinha subido ao pódio mas só agora conseguiu chegar ao lugar mais alto. Discutiu a primeira manga taco a taco com Marcel Hirscher e terminou a apenas um centésimo de segundo do vencedor dos cinco últimos Globos de Cristal. Na segunda manga, Faivre arrasou a concorrência e estreou-se a vencer na Taça do Mundo de esqui alpino.

Quanto a Hirscher, foi incapaz de acompanhar o seu ritmo e terminou a 49 centésimos de segundo. Ainda assim, é o austríaco quem lidera a classificação geral, com uma vantagem de 80 pontos sobre Kjetil Jansrud. O norueguês não completou a primeira manga.

No lugar mais baixo do pódio terminou Alexis Pinturault. O francês, vencedor da prova que abriu a temporada em Sölden, na Áustria, partilha com Hirscher a liderança na Taça do Mundo de slalom gigante e depois de dois segundos lugares nos dois últimos anos, persegue ainda o primeiro Globo de Cristal na disciplina.

Lara Gut quer ser a nova rainha da neve

Na ausência de Lindsey Vonn, que sofreu uma fractura no braço direito e que apenas tem o regresso às pistas previsto para janeiro, é preciso encontrar uma nova rainha da velocidade. Porque não Lara Gut, que acabou de vencer o Super Gigante de Lake Louise?

A suíça de 25 anos é a atual detentora do título quer na Taça do Mundo de esqui alpino, quer na de super gigante, e parece disposta a reclamar o estatuto de melhor esquiadora da atualidade. Gut repetiu os triunfos de 2013 e 2014 no super gigante da estância canadiana e tem agora um total de vinte vitórias na carreira.

Terminou com uma vantagem de dez centésimos de segundo sobre Tina Weirather. A esquiadora do Liechtenstein tem estado discreta e subiu agora ao pódio pela primeira vez esta temporada. Na terceira posição terminou a italiana Sofia Goggia, que repetiu assim o melhor resultado da carreira, alcançado no slalom gigante de Killington, no fim de semana passado.

Apesar de não ter ido além da 34ª posição em Lake Louise, Mikaela Shiffrin continua na liderança da Taça do Mundo, graças sobretudo às suas prestações nos slaloms, onde é rainha incontestada. A norte-americana tem 28 pontos de vantagem sobre Lara Gut.

O novo Prevc

Na família Prevc o mais conhecido é Peter, vencedor da última Taça do mundo de saltos de esqui. Mas o seu irmão mais novo, Domen, também dá cartas e acaba de se impor no trampolim de Klingenthal.

O esloveno de apenas 17 anos parece disposto a provar que não fica nada atrás do irmão e leva já duas vitórias em três provas esta temporada. Domen Prevc valeu-se sobretudo da regularidade para levar de vencida Daniel-André Tande por uma unha negra, apenas dois décimos separaram os dois saltadores.

Para o norueguês, de nada valeu o melhor salto, 143 metros foram insuficientes para repetir o triunfo do ano passado no trampolim alemão. O pódio ficou completo com o austríaco Stefan Kraft.

Peter Prevc, o atual detentor do título, desiludiu ao terminar na 22ª posição.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

gravity

Worley e Shiffrin brilham na estreia de Killington